A cultura italiana do café

Na Itália surgiram o espresso e a Moka, nossa “cafeteira italiana”.

Historicamente, a Itália tem uma cultura rica e o café é um dos seus prazeres tradicionais. Quando pensamos na Itália, muitas coisas vêm à mente: a comida, o vinho, as paisagens, as tradições e, por último, mas não menos importante, o café.

O café na Itália nos remete ao século 16, quando foi servido pela primeira vez em Veneza. Hoje, muitos lares italianos ainda têm uma “machinetta” (mais conhecida no Brasil como Moka ou cafeteira italiana), criada em 1933 por Alfonso Bialetti. Também é importante lembrar da primeira máquina de café espresso (sinônimo de “feito no momento”), também inventada na Itália, que reduziu o tempo de preparo da bebida em bares e restaurantes.

Veja também: Chefs e baristas adotam o café

A autêntica cultura italiana nos oferece um café surpreendente em termos de complexidade e riqueza de sabor. Lá, ele é servido junto com um copo de água. Isso não é um hábito em todo o mundo, mas faz parte da experiência sensorial, já que ajuda a limpar o paladar antes de beber o café. Afinal, tomar mais de 7 espressos por dia na Itália não é incomum.

As tradições e os rituais na Itália tornam a experiência de tomar um café ainda mais especial. Talvez seja por essa razão que o resto do mundo adora conhecer o berço dos famosos cappuccinos e café espresso.

Lilian Trigolo 
Formada em Administração de empresas com ênfase em Comércio Exterior, Colunista do Blog do Madeira e Jornal Folha de Varginha e Produtora de café

Instagram: liliantrigolo

Paula Dias 
Produtora de café, empresária, barista e CEO da Grandpa Joel’s Coffee 
Instagram: grandpajoelscoffee

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
6 0
Views:
221
Article Categories:
Coluna