“Milho no Franqueitão” vence segunda etapa do Prato Junino

Receita de bolinho de milho, frango, queijo e quentão se destacou pela praticidade e sabor.

*Por Augusto Albertini

Esta quarta-feira (5) foi dia de mais uma etapa do concurso do “Prato Junino”, realizado pela Belotur. O evento que seleciona estudantes de diversas faculdades de gastronomia de Belo Horizonte para participar do Arraial de BH, dessa vez esteve na faculdade Estácio de Sá. Ao todo foram oito grupos de alunos na disputa.

Três pratos ficaram entre os finalistas: a rabada de milho (rabada com angu de milho, farofa de panko e agrião com gengibre), o Balancê Mineiro (Sobrecoxa de frango, recheada com Queijo Minas Artesanal do Serro, empanada na farinha de torresmo, com canjiquinha e quiabo grelhado), e o prato vencedor – Milho no Franqueitão.

O Milho no Franqueitão é um bolinho de milho verde, recheado com frango, queijo do Serro, servido com redução de quentão. A receita foi o único tira-gosto da etapa classificatória da Estácio de Sá, e foi elaborada pelas estudantes do primeiro período de gastronomia Camila Franco, Fernanda Heloise Fonseca, Gisele Leite Silva e Miriam Nunes Silva.


Grupo vencedor da etapa Estácio de Sá (Foto:Augusto Albertini)

A receita foi a adaptação de um bolinho que Gisele havia feito para um trabalho de faculdade, as novidades ficaram por conta da redução de quentão, que foi feita a partir de uma receita de família da estudante, e também da utilização do Queijo Minas Artesanal do Serro como referência a terra natal de Dona Lucinha, que é a grande homenageada desta edição do concurso.

A simplicidade do tira-gosto também é uma referência aos botecos e bares de Belo Horizonte, que são parte fundamental da gastronomia do município. “A gente tinha visto um outro evento que aconteceu aqui em BH, e a gente pensou que tá tudo muito gourmetizado, e quando a gente fala que estuda gastronomia e vai ser chef de cozinha, o pessoal já pensa ‘nossa, vai ser aquela coisa toda gourmet’. A gente quis mostrar que assim como Dona Lucinha trazia e trouxe para nós a cozinha mineira de raiz, na festa junina nada melhor do que um bolinho que você pega na mão, põe no molhinho da redução de quentão, e você pode andar com a vasilhinha na mão.” contou Gisele.

Augusto Albertini
Jornalista e colaborador do Territórios Gastronômicos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
2 0
Views:
447
Article Categories:
Acontece