Cervejas de Inverno

Por Mauro Manzali Bonaccorsi

Olá, caro leitor! Estamos estreando no Territórios Gastronômicos com uma coluna sobre cerveja! Sim, como vocês sabem, Minas Gerais se destaca no cenário nacional também na produção de cervejas artesanais. Nesse primeiro artigo vamos apresentar algumas cervejas encorpadas e com teor alcoólico mais alto e que são uma boa alternativa aos vinhos para as mesas nessa estação mais fria do ano.

Veja Também: Cervejaria cria sabores inspirados na fauna da Serra da Canastra

Para quem gosta de cervejas mais maltadas e com algum residual de açúcar, entre as melhores opções, temos as Strong Scotch Ale, também conhecidas por Wee Heavy, estilo de origem na Escócia, onde as condições climáticas não favoreciam o cultivo de lúpulo, ao contrário do malte, o que levou, no passado, os cervejeiros escoceses a desenvolverem cervejas explorando o que tinham de melhor. As Strong Scotch Ale apresentam uma complexidade de maltes no aroma e sabor, trazendo camadas de caramelo, toffee, produtos de reação de Maillard, tostado e até mesmo um leve defumado, sendo nenhuma ou muito diminuta a participação de lúpulo, muitas vezes se resumindo a conferir apenas amargor para contrapor o dulçor dos maltes.

Já as Barleywines, originalmente inglesas, mas que os americanos fizeram uma releitura do estilo, produzindo uma versão com doses mais generosas de lúpulos, são cervejas que também exploram bastante os maltes, conferindo notas de caramelo, toffee, produtos de Maillard e tostado, mas carregam uma esterificação frutada que remete a frutas secas que, em combinação com o álcool e o lúpulo, muitas vezes com perfil floral e terroso, conferem um caráter vínico.

E, finalmente, para quem gosta de cervejas escuras, a Imperial Stout também é uma boa pedida. Este estilo também é originalmente inglês, mas que também os americanos fizeram uma releitura, com maior adição de lúpulos e explorando mais o caráter torrado, enquanto as versões inglesas exploram mais da riqueza dos maltes. Ambas, contudo, apresentam camadas de aroma e sabor, mais ou menos intensas de caramelo escuro, cacau, chocolate, torrefação de grãos, café, pão tostado, bolacha cream cracker, acompanhadas de frutas escuras, geralmente de ameixas secas e uvas passas. Algumas Imperial Stout americanas, devido à intensidade de torrado, conferem notas de coco e até molho de pimenta. Os lúpulos, como já informado, podem ser muito baixos a agressivos, de acordo com a versão, inglesa ou americana. Reza a lenda que este estilo de Stout mais forte foi concebido por cervejeiros ingleses para atenderem a Czarina Catarina,  que em visita da Corte Russa a Inglaterra se encantou com as cervejas Stout, mas que contudo chegavam à Russia estragadas, não suportando a viagem de navio. A solução foi fazer uma cerveja mais alcoólica e com mais lúpulo, o que dá explicação ao outro nome de designação do estilo: Russian Imperial Stout.

A Cervejaria Loba, localizada em Santana dos Montes, produz todos estes três estilos, inclusive cumulando premiações em concursos. Fica a dica para vocês provarem boas cervejas com alma mineira.

Mauro Manzali Bonaccorsi
Juiz de cervejas com certificação internacional (Beer Judge Certification Program); Beer Sommelier diplomado pela Doemens Academy/Senac-SP; Cervejeiro Caseiro ganhador de medalha de ouro com amostras em competições nacionais e internacionais (National Homebrew Competition 2019);
Idealizador do Brasil Beer Guide app.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
9 0
Views:
1510
Article Categories:
Ingredientes e Utensílios