A Gastronomia como vitrine de negócios

A Cozinha de Felipe Leroy trabalha com conceitos pouco convencionais e gera valores financeiros e humanos.

Por Augusto Albertini

Quem ama gastronomia sabe que ela é muito mais do que apenas fazer comida. Ela está presente na nossa cultura, na nossa saúde, no comportamento da nossa sociedade e também é uma forma poderosa de negócio, capaz de contagiar as pessoas pelo paladar e pelos estímulos dos sabores. O Chef Felipe Leroy usa a gastronomia como uma vitrine de negócios, mas não possui nenhum restaurante, e não sente falta de possuir este tipo de espaço. Para ele, a cozinha possui uma infinidade de possibilidades para ser explorada ou, como ele diz, “é um universo”.

Ter um negócio sem um restaurante parece incoerente com a ideia de se tornar um chef de cozinha, mas Felipe carrega a visão do mercado financeiro, ramo no qual ele atuou por seis anos antes de tornar um cozinheiro profissional em 2004. Ele lidera o Cozinha Vitrine, que oferece aulas de culinária, buffet, consultorias, treinamentos de liderança e também trabalha com o conceito que chama de “Tangibilidade” mostrando produtos e equipamentos de cozinha para possíveis consumidores finais, aproximando as marcas e compradores.

No entanto, ter uma visão puramente comercial em uma cultura na qual aprendemos desde cedo que o amor é o principal ingrediente de toda boa receita é um grande dilema e, para solucioná-lo, Felipe recorre às suas raízes mineiras, utilizando os valores desta gastronomia, que é rica em afeto. “A ideia é dar aula de culinária, mas também trabalhar o diálogo com o público, mostrando um tanto de elementos únicos, que são os (feitos) dos micro produtores que trabalham sem escala, mas com uma unicidade incrível de produtos”, conta. “Tem coisas que são únicas, não por causa da sua escala, mas por causa da sua história. Isto é bem poético e é assim que funciona a gastronomia mineira”, completou.

As atividades vão além da cozinha. Tais negócios possibilitam feitos que estão além dos lucros, que são as ações e atitudes beneficentes. O Cozinha Vitrine desenvolve alianças  para inclusão de portadores da “síndrome do amor” (Down) nas praticas de cozinha e salão; participam de outra ação social  que é a Marmitinha de Luz, que prepara alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade na cracolândia. Há também ações voluntárias de cozinha para fomentar  a doação e participação da sociedade para a APAE de algumas cidades no estado.

Felipe preparou uma receita especial para os leitores do Territórios Gastronômicos. Aprenda a fazer um delicioso bolo salgado de banana.

(Foto: Acervo Pessoal)

Augusto Albertini
Jornalista e colaborador do Territórios Gastronômicos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
4 1
Views:
989
Article Categories:
Chefs e Mestres

All Comments