A história de uma sorveteria que funciona há 90 anos

Sorveteria São Domingos é um dos pontos mais tradicionais de Belo Horizonte e completa nove décadas de existência em 2019.

Por Augusto Albertini

Manter um comércio por 90 anos é o objetivo que todo empreendedor quer alcançar quando está entrando no mercado. De fato, não é nada fácil alcançar este feito, especialmente quando se mantém apenas uma unidade durante quase um século de funcionamento, como é o caso da Sorveteria São Domingos, localizada na Avenida Getúlio Vargas, no bairro da Savassi, em Belo Horizonte.

Não há quem conheça bem a região centro-sul de Belo Horizonte e nunca tenha tomado um daqueles sorvetes, ou não tenha ao menos ouvido falar da sorveteria São Domingos. De fato, o lugar faz parte da memória coletiva do município e é impossível falar de como surgiu a loja sem contar a história da capital mineira.

Veja Também: Sorvete medicinal auxilia no tratamento de quimioterapia e outras doenças.

A história da Savassi e a São Domingos

Sorveteria São Domingos é um dos espaços mais tradicionais de BH (Foto: Reprodução / Instagram)

O próprio nome da sorveteria carrega uma curiosidade sobre a região da Savassi. “Eu peguei o contrato social da sorveteria de 1972 e meu pai colocou o nome “São Domingos” como nome fantasia, e isso sempre me despertou curiosidade. Há 12 anos, eu tive acesso a uma planta muito antiga de Belo Horizonte, e lá estava escrito: Bairro São Domingos”. Quem conta esta história é Domingos Montenegro, que desde 1979 é encarregado de administrar o negócio criado por seu pai, que faleceu naquele mesmo ano.

Domingos Dias da Silva foi a mente pioneira por trás da sorveteria. Em 1929, quando ele inaugurou o negócio, o sorvete ainda não era uma sobremesa consagrada, aliás, é possível que algumas pessoas sequer soubessem o que era isto. A loja foi uma aposta, e acabou dando certo.

A primeira unidade funcionou na Rua da Bahia, próximo ao centro da cidade, e em 1934 se estabilizou no local onde está até hoje. Durante todos esses anos, o local foi frequentado por fregueses ilustres, como: Juscelino Kubitschek, Milton Nascimento, Fernando Brant, Fernando Sabino, Roberto Drumond, Débora Falabella, Priscila Fantin, Samuel Rosa e Haroldo Ferretti da banda Skank e, mais recententemente, pelo músico e compositor Lulu Santos.

Atriz Priscila Fantin ao lado do proprietário Domingos Montenegro (Foto: Acervo São Domingos)

Durante muito tempo, o local foi um dos poucos pontos da cidade a vender o tão cobiçado sorvete, o que acabou gerando a fama da São Domingos.

Novos tempos na sorveteria

Noventa anos após a inauguração da loja, o sorvete não é mais uma raridade como era em 1929. O comércio deste produto cresceu nesse meio tempo de maneira avassaladora, Belo Horizonte se tornou uma metrópole e, atualmente, o público que frequenta sorveterias possui opções de todos os tipos à disposição. “Diminuiu (o número de clientes) em relação ao que era antigamente. Naquele tempo havia quatro ou cinco sorveterias, hoje existem centenas”, conta Domingos. “Hoje o trânsito de sábado e domingo é o mesmo do resto da semana. O cara não vai gastar uma hora para sair da zona norte para tomar um sorvete”, afirma.

São Domingos durante anos 1980.

No entanto, mesmo estando rodeado de shoppings centers, redes de fast food e gelaterias italianas, a sorveteria São Domingos ainda se mantém, e não é graças somente à sua história, mas também ao produto que continua agradando o gosto de vários fregueses.

Os sabores que continuam conquistando

Atualmente a São Domingos conta com cerca de 200 sabores. 50 deles ficam disponíveis na loja e, à medida que o ano passa, eles vão sofrendo rotatividade.

São Domingos conta com uma grande variedade de sabores (Foto: sorveteriasaodomingos.com)

De acordo com Domingos, o sabor mais consumido é o de chocolate africano, que possui um gosto um pouco mais intenso. No entanto, o proprietário destaca a qualidade dos sorvetes de manga, jabuticaba, acerola, framboesa, jaca maracujá e amendoim que, na opinião dele, são opções que se destacam em relação às preparadas pelos concorrentes.

Alguns sorvetes de fruta são feitos a partir de ingredientes colhidos na fazenda de Domingos e o resultado já agradou inclusive os concorrentes, que foram pessoalmente elogiar o trabalho da sorveteria.

Além disso, os sorvetes da São Domingos ainda são feitos de maneira rudimentar, com um processo muito semelhante ao que era feito cerca de 40 anos atrás.

O segredo do sucesso

Ao longo dos seus noventa anos, a São Domingos já protagonizou histórias como a de um cliente que encomendou um sorvete para a namorada em Foz do Iguaçu (PR), e também há o caso de outra freguesa que encomendou uma quantidade muito alta para servir em seu aniversário em um município do sul de Minas Gerais.

Embora o perfil de clientes tenha mudado ao longo do ano, um estabelecimento que possui tradição cria vínculos profundos com seus consumidores, e isto é uma vantagem de estar há muitos anos no mercado.

Há quem diga que a gastronomia mineira se destaca pelo afeto na cozinha, e Domingos garante que com os sorvetes não pode ser diferente.

(Foto de Capa: Reprodução / Instagram)

Augusto Albertini
Jornalista e colaborador do Territórios Gastronômicos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
4 0
Views:
210
Article Categories:
Bares e Restaurantes

All Comments