A História de Carlinhos, Joana e suas esfirras mineiras

Vem de Passos, no sul de Minas Gerais, mais uma história de superação e sucesso proporcionada pela gastronomia. Confira ao final, a receita da deliciosa esfirra de queijo.

Vem de Passos, no sul de Minas Gerais, mais uma história de superação e sucesso proporcionada pela gastronomia. Confira ao final, a receita da deliciosa esfirra de queijo.

Por: Simone Lopes da Cunha Frank*

Perseverança, Talento e Superação

Hoje vou contar pra vocês uma de história de superação, onde o destino utilizou toda sua habilidade para juntar amor e talento, assim a cidade de Passos pôde ter um cantinho que é Puro Sabor.

É a história de Carlinhos e Joana, um casal de migrantes, que decidiram empreender e provaram que amor e negócios são duas forças que podem, sim, estar em sintonia e gerar bons resultados.

Vamos lá.

A história de Carlinhos

Carlinhos nasceu em Carbonita, no Alto Jequitinhonha nordeste de Minas Gerais. Cidade com base econômica na extração de carvão vegetal. Desde menino Carlinhos sonhava ir em busca de uma vida melhor noutro lugar.

Aos 18 anos, resolveu sair de casa em busca do seu sonho.Juntou-se a outros rapazes e vieram trabalhar em uma pedreira na Serra da Babilônia, localizada entre São João Batista do Glória-MG e a Serra da Canastra.

Quebrava pedras o dia todo, debaixo de sol forte, recebia só um salário mínimo por mês. Por 2 anos morou num barraco improvisado, coberto por uma lona, sua alimentação era precária e não tinha nenhuma forma de lazer. Inconformado com a situação resolveu “descer” para Usina Itaiquara para trabalhar no corte de cana onde o salário era melhor.

Em pouco tempo mudou-se para Passos pois, sua meta era melhorar de vida e ter um destino diferente dos parentes que ficaram para trás. Assim trabalhou num frigorífico, posto de gasolina, foi servente de pedreiro e faxineiro num salão de festas, onde por ser de boa aparência e trato gentil com as pessoas logo o patrão o incentivou a aprender o ofício de garçom. Ele rapidamente se destacou tornando-se um dos mais reconhecidos e eficientes da cidade. Seu carisma e bom atendimento o levou a ser disputado pelos donos dos melhores restaurantes, e num destes trabalhou por 8 anos.

A história de Joana

Joana nasceu no pequeno povoado de Aparecida de São João da Canabrava, Estado do Piauí, onde a maioria da população sobrevive da agricultura de subsistência.
Joana foi criada pela avó, muito pobre, porém cozinheira de mão cheia, o que lhe garantia sempre arrumar trabalho nas casas dos mais abastados da região.

Joana nos conta que sua avó lhe ensinou muitas coisas como preparar pratos típicos, carnes, doces e sempre dizia: “Não posso lhe dar nada, posso apenas lhe ensinar o que sei”


Em 1993 Joana cansada da falta de condições de vida e pobreza do lugar, deixa a família e seus 4 filhos no norte e vai tentar a sorte em São Paulo, onde arrumou trabalho de faxineira e empregada domestica.
Aproveitou uma folga para passear na casa de uns tios em Passos, no sul de Minas Gerais. Logo que chegou já se encantou pela cidade. Conta que gostou de tudo, do clima, das pessoas e resolveu ficar e trazer seus filhos. Arrumou emprego de faxineira, empregada doméstica, trabalhou numa tecelagem, depois numa padaria onde, de faxineira passou a embaladora e, por fim salgadeira .

Veja Também: Mestre Jamaica e os Churros que contam histórias

O destino une as histórias

Em 2008 Joana e Carlinhos se conheceram, logo nasceu uma amizade que aos poucos se tornou amor.
Um dia faltou uma cozinheira no famoso restaurante que Carlinhos trabalhava, e para socorrer o patrão do namorado Joana foi ajudar. Toda equipe se encantou com o tempero e traquejo que Joana tinha na cozinha, isto lhe rendeu uma vaga na equipe.

Joana ao se deparar com a cozinha do restaurante e sua rotina, teve certeza que ali era seu lugar e mais, que poderia passar de uma funcionária a dona do seu próprio negócio. Não demorou muito para Joana convencer Carlinhos a pegar as reservas que tinham e investir nessa idéia, e assim seguiram em frente.


No começo não foi nada fácil para os dois, que nunca haviam sido patrões, e não possuíam experiência em administração. Mas o que faltava de um lado o talento fazia sobrar no outro e a pequena lanchonete que com dificuldade montaram, seguia ganhando fama.

Estava escrito! Puro Sabor!

O sucesso consolidou-se quando Carlinhos e Joana participaram do concurso Sabor de Passos promovido pela FESP – Faculdade de Ensino Superior de Passos e foram os grandes vencedores nas categorias Sabor, Criatividade e Bom Atendimento.
Em dez anos de história a lanchonete transformou-se num restaurante, onde encontramos pratos deliciosos e as maravilhosas esfirras com um toque a mais: o tempero arretado do Norte!!!

E uma destas delicias, que é o xodózinho dos clientes, é a “Esfirra Mineira”, uma receita autoral que Joana desenvolveu em homenagem a cidade de Passos, e ao povo mineiro.

Ela gentilmente cede esta receita para os leitores do portal Territórios Gastronômicos, e convida à todos para uma visita ao seu restaurante Puro Sabor para conferir as delícias preparadas e servidas com muito amor e carinho.
Av. Liquinha da Silveira, 1028 – COHAB,
Passos – MG
Fone: 035 3521 4484
Vamos a receita:

INGREDIENTES DA ESFIRRA MINEIRA
MASSA
1 colher (sopa) de sal
1 colher (sopa) de açúcar
10 gramas de banha de porco
20 gramas de fermento
1 colher (sopa) de oleo
1 kg de farina de trigo
500 ml de água em temperatura ambiente
Fubá para polvilhar

RECHEIO
1 kg de torresmo
300 gramas de queijo tipo Canastra
Cheiro verde (Salsinha, cebolihna a gosto)

MODO DE FAZER RECHEIO
Frite os torresmos, espere esfriar. Soque-os num pilão ou socador de temperos, também pode passar rapidamente pelo processador de alimentos, mas só para dar uma triturada grosseira mesmo. Misture com o cheiro verde, amassando com as mãos e reserve.
Rale o queijo, reserve.

MODO DE FAZER MASSA
Misture 500 ml de água (reserve o restante) com o fermento e o açúcar e deixe descansar por 10 minutos.
Junte a farinha (separe uma pequena parte), o óleo e o sal. Misture com uma colher de pau e depois amasse com as mãos.
A seguir, despeje e sove a massa sobre uma superfície enfarinhada. Acrescente o restante da farinha até que a massa fique com aparência homogênea e desgrude das mãos.
Deixe descansar por 10 minutos.
Após descansar, divida a massa em 2 partes iguais e faça um rolo grosso com cada uma delas. Tome como medida três dedos e corte toda a massa em pedaços iguais.
A seguir, faça bolinhas usando o fubá para polvilhar e dar formato a massa. Utilizando os dedos, achate cada bola fazendo laterais altas (como um ninho).
Acomode os discos na forma polvilhada com fubá e deixe descansar por 15 minutos.
Coloque uma pequena porção de recheio sobre cada disquinho de esfiha.
Salpique o queijo por cima
Asse em forno pré-aquecido a 180º.
Rendimenro: 35 esfihas

*Simone Lopes da Cunha Frank: Mineira, cozinheira, pesquisadora, apaixonada por gente e suas histórias, seus causos, receitas, e fotografias. É colaboradora do Territórios Gastronômicos, autora da coluna Panelas e Causos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
2 0
Views:
2126
Article Categories:
Chefs e Mestres