Uma loja onde só se vende saúde

Por Isabel de Andrade*

Quem entra na loja Amêndoa, no bairro Floresta, em Belo Horizonte, tem a impressão de que encontrou o paraíso das castanhas. Pra todo lado que se olha há vários potes transparentes cheios delas. Mas, nas prateleiras foi reservado também um espaço para os chás, temperos, frutas desidratadas, cereais, grãos e sementes. A loja lembra aquelas mercearias antigas onde tudo era vendido a granel, mas ganhou um toque de modernidade e sofisticação.

Quem teve a ideia de montar o negócio foi a Cibelle Carvalho Pereira. A psicóloga aprendeu com o pai, ainda na infância, a importância de uma alimentação saudável. E, desde então, escolhe com muito cuidado tudo o que vai comer.

Durante o período em que morou em Salvador, na Bahia, conheceu uma nutricionista que lhe apresentou produtos que, até então, ela desconhecia. Esse encantamento foi uma espécie de sementinha que brotaria mais tarde e se tornaria o atual empreendimento.

De volta a Belo Horizonte, Cibelle decidiu que era hora de colocar em prática o que era só um sonho. Fez um plano de negócios, pesquisa de mercado, conheceu produtos e foi atrás de fornecedores. Decidiu que investiria também no conceito de sustentabilidade e optou pela venda a granel, que dispensa o uso de embalagens e evita o acúmulo de lixo. Em outubro de 2018, abriu a loja.

Veja Também: Além do caju e do Pará, conheça algumas castanhas nativas

Os campeões de venda, segundo a empresária, são a castanha do Pará, damasco, farinha de amêndoas, passas, ameixa e temperos como páprica e chimichurri. Mas, os estoques são sempre renovados com muitas novidades como, por exemplo, o milho espanhol, açaí em pó, ervilha com wasabi. As farinhas de amora e de uva também acabaram de chegar e, de acordo com Cibelle, ajudam a amenizar sintomas de TPM e menopausa e podem ser acrescentadas em sucos, vitaminas e receitas de bolo.

Na linha de chás, há opções com propriedades calmantes, diuréticas, que amenizam os sintomas da celulite e ajudam no funcionamento do intestino. Na loja, só entra produto que está em sintonia com a proposta do negócio, que é “vender saúde”. Por isso, Cibelle explica que se nega a comercializar, por exemplo, alimentos industrializados, com alto teor de conservantes e sódio como, por exemplo, o amendoim japonês.

O Sebastião Felippe da Silva, de 81 anos, sabe que precisa investir em uma alimentação saudável e, sempre que pode, passa na Amêndoa para reabastecer a despensa de casa. Ele, que trabalhou durante muito tempo como cozinheiro e garçom e, atualmente, está aposentado, enfrentou alguns problemas de saúde e precisou tirar o pâncreas, vesícula e uma parte do intestino. Desde então, passou a olhar para a alimentação com outros olhos e procura sempre seguir as dicas dos médicos. O mais difícil, segundo ele, é seguir a orientação de consumir apenas três castanhas por dia. “Às vezes, chego a comer até 15”, confessa o aposentado.

Veja Também:Plantas medicinais previnem doenças e dão sabor às receitas

Serviço

Amêndoa

Rua Pouso Alegre, 957, bairro Floresta, Belo Horizonte.

Site: amendoasaude.com.br

Fotos: Isabel de Andrade

*Isabel de Andrade é Jornalista e Colaboradora do Territórios Gastronômicos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.