Especiarias Casa Branca: um negócio temperado com muito amor e com a memória afetiva de família

Conheça a história por trás dos temperos fabricados pela Especiarias Casa Branca. A empresa tem uma linha de produtos que resgata uma receita que está há 60 anos na família e faz homenagens às belezas naturais do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, que fica em Minas Gerais.

Conheça a história por trás dos temperos fabricados pela Especiarias Casa Branca. A empresa tem uma linha de produtos que resgata uma receita que está há 60 anos na família e faz homenagens às belezas naturais do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, que fica em Minas Gerais.

Por Isabel de Andrade*

Na camisa do empresário Marcelo Guimarães, proprietário da Especiarias Casas Branca, um detalhe logo chamou a atenção. Nela estava escrito: “Não coma nada que sua avó não reconheceria como comida”. A frase criada por uma amiga, segundo ele, resume perfeitamente o negócio da família. É uma linha de temperos cuidadosamente preparados com ingredientes naturais, sem conservantes, corantes e com baixo teor de sódio. “Nós, que trabalhamos com produtos naturais, gostamos muito de utilizar essa frase”, explica Marcelo.

Essência: “Não coma nada que sua avó não reconheceria como comida” (Foto: Isabel de Andrade)

A Especiarias Casa Branca produz quatro tipos de temperos que foram batizados com nomes que fazem uma homenagem ao Parque Estadual da Serra do Rola Moça, que abrange os municípios de Brumadinho, Nova Lima, Ibirité e Belo Horizonte. A unidade de conservação é considerada uma das mais importantes áreas verdes de Minas Gerais e esbanja uma riqueza ambiental que abrange a fauna e a flora. Marcelo e a esposa, Virgínia Andrade, moram no condomínio Casa Branca, que fica na região. Por isso, decidiram batizar os temperos com nomes que remetem aos tesouros encontrados por lá: Tempero da Serra, Tempero do Cerrado, Tempero Canela de Ema e Tempero Ouro da Serra.

Linha de temperos faz homenagem às belezas naturais do Parque Estadual da Serra do Rola Moça ( Foto: reprodução Instagram)

O Tempero da Serra leva alho, cebola, manjericão, salsa, louro e sal. É indicado para temperar arroz, feijão, legumes, carnes de boi, molhos vermelhos e saladas. O Tempero do Cerrado é fabricado com alho, cebola, manjericão, salsa, louro, páprica, colorau, orégano, alecrim e sal. Ele é ideal para grelhados e assados, molhos, caldos e batatas. Já o Tempero Canela de Ema, que tem o nome de uma planta endêmica da Serra do Rola Moça, é fabricado com cebola roxa, alho, chimichurri, hibisco e sal. Ele vai muito bem com carnes de boi, porco, cordeiro, cabrito, de soja, cogumelos, lentilhas e vegetais. E, por último, o Tempero Ouro da Serra, que leva alho-poró, gengibre, açafrão, raspa de limão, cebola, alho, louro e sal. É indicado para temperar carnes brancas e peixe.

Além dos temperos, Marcelo e Virgínia fabricam ainda o Sal Gourmet, composto por sal rosa, ervas desidratadas, orégano, manjericão, alecrim, alho e cebola. Ele é ideal para temperar saladas, caldos e feijão e finalizar massas, grelhados e batatas assadas. Também faz parte da linha da Especiarias Casa Branca a farofa Rola Moça, que ganha um sabor especial com a adição do bacon.

Veja Também: Conheça os mitos e verdades sobre o sal rosa do Himalaia

Todos os produtos só foram lançados depois de passar por testes rigorosos de qualidade feitos pela Virgínia que, de acordo com o marido, é uma excelente cozinheira. O Tempero Canela de Ema, por exemplo, levou dois anos para ser desenvolvido.

O Tempero da Serra é uma receita que está na família há 60 anos ( Foto: reprodução Instagram)

Foram justamente os dotes da Virgínia na cozinha que despertaram no casal o desejo de investir no empreendimento. Ela já usava em casa o Tempero da Serra, uma receita que veio com a avó da Itália e que já está na família há 60 anos. Marcelo conta que a comida preparada com o tempero sempre foi muito apreciada pelos amigos do casal, que aconselharam aos dois compartilhar essa gostosura. Assim, em 2015, foi criada a Especiarias Casa Branca.

Hoje, Marcelo e Virgínia contam com o auxílio de duas ajudantes e a fabricação é feita em casa, ao pé da Serra do Rola Moça. Os produtos podem ser encontrados em feiras, empórios e também são vendidos pela internet. O empresário diz que não pretende expandir as vendas para grandes redes de supermercado porque faz questão de manter a característica original do negócio. E fazem parte dessa essência a memória afetiva da família e o jeito artesanal de fabricar os temperos.

Serviço

Instagram: @especiariascasabranca

Contato: (31) 99987-6955 e 99203-7772

Leia também: Temperos feitos por mineira são carregados da sabedoria indiana.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
1107
Article Categories:
Ingredientes e Utensílios

All Comments