Começam as aulas na Escola Criativa da Gastronomia de Belém

Os 120 alunos da Escola Criativa da Gastronomia de Belém, no Pará, já estão nas salas de aula. Eles fazem parte do Curso Técnico de Cozinha, que é totalmente gratuito e integra o projeto que conferiu à capital paraense o título de Cidade Criativa da Gastronomia.

Os 120 alunos da Escola Criativa da Gastronomia de Belém, no Pará, já estão nas salas de aula. Eles fazem parte do Curso Técnico de Cozinha, que é totalmente gratuito e integra o projeto que conferiu à capital paraense o título de Cidade Criativa da Gastronomia.

Por Isabel de Andrade*

A semana começou trazendo uma nova perspectiva para 120 pessoas que trabalham no ramo da alimentação ou que buscam um lugar ao sol na área. São os alunos da Escola Criativa da Gastronomia de Belém, que fica no distrito de Outeiro, no Pará. Eles começaram uma caminhada muito importante rumo à qualificação.

Alunos provam pratos típicos da culinária paraense ( Foto: Alessandra Serrão)

Os alunos fazem parte do primeiro grupo que vai frequentar o Curso Técnico de Cozinha, que inaugura as atividades na escola. Vanessa é uma das matriculadas. Ela nunca trabalhou no ramo da culinária e, aos 36 anos, vê o curso como uma chance de conseguir uma colocação no mercado. “Num primeiro momento quero trabalhar em restaurante, mas também quero montar meu negócio em confeitaria”, conta Vanessa, cheia de planos.

Os 120 alunos foram divididos em três turmas regulares. O curso vai durar um ano e meio e terá três módulos. No primeiro, de Higiene e Vigilância Sanitária, o aluno vai aprender sobre as condições de higiene exigidas para bares e restaurantes. No segundo, Cozinha Inicial, o foco são as técnicas básicas de culinária, confeitaria e panificação. E no terceiro módulo, Cozinha Avançada, as aulas serão direcionadas para técnicas da cozinha oriental, contemporânea, brasileira e regional. “Quando se fala de gastronomia logo se entende só o cozinheiro e aqueles pratos lindos. Mas há muito trabalho por trás disso. Os alunos precisam conhecer essa realidade a partir das técnicas que o curso vai oferecer”, explicou o coordenador da escola, Bruno Morais.

Alunos conhecem as dependências da Escola Criativa da Gastronomia de Belém ( Foto: Alessandra Ferrão)

Fazem parte da grade curricular disciplinas como Língua Portuguesa, Informática Básica, Microbiologia de Alimentos e Bioquímica de Alimentos. Segundo o coordenador Bruno Morais, os alunos também terão aula de francês, ministradas em parceria com a Aliança Francesa, para que possam conhecer os termos da gastronomia.

O curso é totalmente gratuito. Beatriz Padovani, presidente da Fundação Centro de Referência em Educação Ambiental Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira (Funbosque), que administra a Escola da Gastronomia, explicou que o projeto foi desenvolvido a partir da premiação de Belém como Cidade Criativa da Gastronomia. O título foi conferido pela Unesco em 2015. Desde então, a capital paraense se tornou uma referência mundial na gastronomia e passou a integrar uma rede de cidades que buscam o desenvolvimento de maneira sustentável e socialmente justa. “A ideia é a gente desenvolver aquilo que é o nosso talento em matéria de gastronomia. Imaginem mudar o cenário dando oportunidade à nossa população de se qualificar para fazer melhor aquilo que ela já faz bem, com brilhantismo e destaque internacional? É isso o que a escola representa”, afirmou Beatriz.

Escola Criativa da Gastronomia de Belém recebeu investimentos de R$ 1 milhão ( Foto: Alessandra Ferrão)

A obra recebeu um investimento de mais de R$ 1 milhão. Além da construção da estrutura, foram comprados móveis e equipamentos. A escola tem três salas de aula, um laboratório, uma cozinha industrial, um refeitório e três banheiros, sendo um deles adaptado. Tudo novinho em folha para que a primeira turma da Escola Criativa da Gastronomia de Belém desenhe um novo futuro e esteja preparada para encarar novos e saborosos desafios.

Colaboração: Tábita Oliveira, jornalista.

Foto de capa: Alessandra Serrão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.