Dona Fina e os pastéis

Dona Fina, natural de Pompéu-MG, criou receita e fabrica pastéis há mais de 35 anos

Pastel Frito criado por Dona Fina é sucesso há mais de 35 anos

Dona Fina, natural de Pompéu-MG, criou receita e fabrica pastéis há mais de 35 anos

por Luciana Hübner*

Dona Josefina Rocha, mais conhecida como Dona Fina, é moradora de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Na década de 1980, ela vivia um dilema. Um dos cinco filhos tinha perdido o interesse pela escola. E, para evitar que ele ficasse sem ocupação, criou uma receita de pastel. “Eu fazia uns pastéis grandes, enchia uma cesta e ele saia para vender aqui pela região central da cidade”, conta ela.

Dona Fina criou receita de pastel de sucesso na década de 80. (foto: arquivo de família)

A cesta voltava vazia, todos os dias. E o sucesso dos pastéis foi aumentando a partir de um marketing infalível, o boca a boca. Incentivada por uma prima, ela ampliou o negócio. “Uma prima me sugeriu fazer os pastéis menores, para que as pessoas encomendassem para festas. Aí, segui o conselho dela”, lembra.

Pastéis da Dona Fina são um sucesso há 35 anos. (foto: Luciana Hübner)

De lá para cá, Dona Fina nunca mais se afastou da cozinha. Ela conta que já chegou a produzir dois mil pastéis por dia. O lucro complementava a renda da família. “Meu marido era carpinteiro e os pastéis sempre ajudaram aqui em casa”, destaca.

Pastéis recheados manualmente levam ervas cultivadas no quintal. (Foto: Luciana Hübner)

Aos 82 anos, ela diminuiu a produção para mil pastéis por dia e conta com a ajuda das filhas Kátia, Nívea Patrícia e Josy. A produção é 100% caseira. São três sabores: carne, frango e queijo. Depois que o recheio está pronto, é hora de abrir a massa e cortar os pastéis. Tudo feito manualmente. Na sequência, eles são fritos em óleo quente.

Pastéis prontos para serem fritos. (foto: Luciana Hübner)
Pastéis caseiros são fritos em óleo quente. (foto: Luciana Hübner)

A arquiteta Adriana Ribeiro é cliente há mais de 30 anos, desde que o filho de Dona Fina passava com a cesta de pastéis na porta da casa dela. “Acabei ficando amiga da família toda. Hoje moro em outro estado, mas sempre que estou por aqui, encomendo os pastéis, que são super sequinhos e crocantes”, conta ela.

A arquiteta Adriana Ribeiro e Dona Fina: cliente e amiga (Foto: Adriana Ribeiro)

Reconhecimento

Em 2019, Dona Fina foi homenageada pela Câmara Municipal de Contagem. Na cerimônia, recebeu a placa de Mérito da Mulher Contagense, em reconhecimento às notáveis mulheres que marcam a história do município. “Foi uma solenidade muito bonita e tudo por causa do pastel”, avalia ela, com o sorriso largo.

Dona Fina é homenageada na Câmara Municipal de Contagem (foto: arquivo de família)

Pastéis da Dona Fina

Contato: (31) 99876-5400

Conheça outros artistas da culinária e suas histórias inspiradoras

Carlinhos, Joana e suas esfirras mineiras

Os pés de moleque do Manduca

Mestra Inesita e os pastéis de angu de Itabirito-MG

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
8 5
Views:
1990
Article Categories:
Chefs e MestresUncategorized

All Comments