Advogada troca Direito por Gastronomia e investe na missão de transformar vidas

Pão de mel, alfajor, bolos, brigadeiros, queijadinhas… Conheça a história da confeiteira que criou a Doce Mari. Uma advogada que decidiu se tornar chef de cozinha e fez da profissão uma ferramenta de transformação na vida de muita gente.

Pão de mel, alfajor, bolos, brigadeiros, queijadinhas… Conheça a história da confeiteira que criou a Doce Mari. Uma advogada que decidiu se tornar chef de cozinha e fez da profissão uma ferramenta de transformação na vida de muita gente.

Por Isabel de Andrade*

A vida da confeiteira e professora, Mari Guimarães, é permeada por doces lembranças. Do passado, ela traz as memórias do tempo em o café da tarde era servido com uma mesa decorada com bolos, broas e quitandas caseiras. A cozinha era um verdadeiro laboratório de onde saíam doces em caldas, de mamão, figo, ambrosia. Tudo feito pela mãe. “A minha mãe era da geração que costumava preparar as quitandas em casa”, conta.

Bolo de paçoca feito pela confeiteira Mari Guimarães ( Foto: reprodução Instagram)

Com uma professora dessas, Mari se graduou na arte da confeitaria. Ainda adolescente, foi ela quem cuidou da fabricação de todos os doces servidos no batizado de uma das sobrinhas. O que era só um hobby se tornou profissão. Em 2013, ela se matriculou em um curso de Gastronomia e durante a faculdade já deu início ao projeto que mudaria a sua vida.

Mari aprendeu a preparar as quitandas com a mãe ainda na adolescência ( Foto: reprodução Instagram)

Tudo começou com o pão de mel, que era distribuído em vários cafés da capital mineira. Mais tarde, o cardápio foi incrementado com outras opções que são campeãs de venda como o bolo caseiro, o brigadeiro e a queijadinha. Depois, chegaram os doces finos, bombons, chocolates e kits para presentes. E, assim, antes mesmo de se formar em 2015, nascia a empresa Doce Mari . “O projeto começou na faculdade, bem tímido. Foi crescendo e se formalizou”, diz.

O pão de mel, um dos campeões de venda, foi o início da Doce Mari ( Foto: reprodução Instagram)

Durante a graduação, a confeiteira também teve a oportunidade de dar aulas em oficinas de culinária a convite da universidade. Foi aí que percebeu o quanto tinha prazer em compartilhar conhecimento. Decidiu participar do processo seletivo do Instituto Gourmet em 2018. Foi aprovada, tornou-se professora do curso profissionalizante e ficou encantada pelo ofício.

Por causa da dedicação às aulas, Mari preferiu reduzir o ritmo da produção no atelier. Por isso, atualmente, trabalha apenas com encomendas. O prazer em ensinar e transformar vidas motiva a professora. “Quero muito usar a confeitaria para ajudar e ensinar as pessoas em situação de dificuldade financeira a encontrar um caminho”, confessa.

Compartilhar o conhecimento com os alunos faz parte da missão de transformar vidas ( Foto: reprodução Instagram)

O próximo passo da confeiteira nessa missão de ajudar mais e mais pessoas a se inserir no mercado de trabalho será uma oficina gratuita que ela vai oferecer durante a Confeitar Minas, no Sebrae, no dia 18 de fevereiro, às 16h30. Mari vai ensinar os alunos a preparar o alfajor argentino. As inscrições podem ser feitas no dia do evento. “Percebi que a confeitaria veio para eu poder ajudar”, diz.

Do Direito à Gastronomia

Mari Guimarães deu uma volta na vida profissional até chegar à carreira na Gastronomia. Sim. Ela se formou em Direito, trabalhava como advogada em um escritório e estudava para prestar concurso público.

Em 2010, de forma bem despretensiosa, fez um cursinho de culinária. Foi só pelo simples prazer de se aperfeiçoar um pouco mais na arte da cozinha. Na mesma época, veio a oportunidade de trabalhar na área administrativa com o chef Eduardo Avelar, que se dedicava ao projeto Sabores de Minas. Assim, o Direito começou a ceder espaço à Gastronomia.

Durante dois anos, a advogada viu de perto como era o dia a dia de um chef de cozinha e como era a dinâmica da profissão onde, mais tarde, passaria a atuar. “Eu via toda a movimentação na cozinha do chef e fiquei encantada. Foi quando eu comecei a entrar nesse mundo”, lembra.

Dois anos depois, Mari se viu obrigada a refazer os planos porque enfrentava problemas de saúde na família. Ela precisou se desligar da equipe do chef Eduardo Avelar para dar um suporte à mãe e ao marido. E conta, com muito carinho, o quanto é grata pela convivência com o chef, que mudou para sempre a vida dela.

Cheesecake de frutas vermelhas é de dar água na boca ( Foto: reprodução Instagram)

Depois de passado o período turbulento, era a hora de voltar a fazer uma escolha. Mari não teve dúvidas. Ela se matriculou no curso de Gastronomia da UNA e decidiu que daria mesmo uma guinada na vida profissional. O final dessa história você já conhece. Hoje, a professora usa o próprio exemplo para motivar os alunos com quem compartilha conhecimentos a persistir, tendo a certeza de a Gastronomia pode abrir novas portas no mercado de trabalho.

A Gastronomia aponta novos caminhos profissionais também para a professora. Atualmente, Mari tem se dedicado à área de consultoria. Depois de fazer uma pós-graduação em Gestão Hoteleira, a chef começou a trabalhar em parceria com restaurantes, confeitarias e pousadas propondo melhorias necessárias no cardápio, cozinha e investindo no treinamento de funcionários. Ela explica que os resultados podem ser melhorados com simples mudanças que, muitas vezes, o próprio empresário não enxerga.

Foram muitas mudanças ao longo da última década. E, certamente, foi necessário ter muita coragem para encarar um novo caminho. Hoje, além da produção da Doce Mari, das consultorias e das aulas no curso profissionalizante, a confeiteira também dá cursos ao longo do ano. A agenda de 2020 está sendo planejada. Ela está cheia de planos também para trazer um cardápio recheado de opções para a Páscoa. Mais feliz, mais leve e mais realizada, Mari segue a vida ainda mais rodeada por doces experiências. “Treino e dedicação. É sempre o segredo para se dar bem em qualquer área”, é o conselho que ela dá para quem pretende seguir uma trajetória parecida.

Serviço:

Contato: (31) 99903-1674

Instagram: @doce_mari_confeitaria

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
3 0
Views:
529
Article Categories:
Chefs e Mestres