“O Mestre da Farinha” é premiado no Japão

Seu Bené é considerado um mestre na arte de fabricar farinha. E faz isso preservando a tradição do ofício no estado do Pará. A história dele está no documentário “O Mestre da Farinha”, que acaba de ser premiado em um festival no Japão.

Seu Bené é considerado um mestre na arte de fabricar farinha. E faz isso preservando a tradição do ofício no estado do Pará. A história dele está no documentário “O Mestre da Farinha”, que acaba de ser premiado em um festival no Japão.

Por Isabel de Andrade*

O documentário “O Mestre da Farinha” ficou em terceiro lugar no Japan World’s Tourism Film Festival. O filme, produzido pelo Projeto Fartura, foi classificado na categoria Sustainable Development Goals (SDGs). O protagonista da história é o Benedito Batista da Silva, de 71 anos, mais conhecido como “seu Bené”.

Seu Bené é o protagonista do curta “O Mestre da Farinha” ( Foto: reprodução YouTube)

O mestre da farinha trabalha na agricultura desde os oito anos. Seu Bené mora na cidade de Bragança, no Pará. Por lá, ele mantém uma tradição amazônica centenária e produz a mais famosa farinha da região, com a mandioca que cultiva no próprio quintal.

Não é raro, segundo o próprio seu Bené, encontrá-lo batendo um papo com as mandiocas na roça. É isso mesmo. “Eu tô ajudando vocês, limpando vocês com todo o amor e carinho. Quero que vocês me ajudem também. Vou alimentar vocês que é pra vocês me alimentarem também”, costuma ser o diálogo entre seu Bené e as mandiocas.

Foto: reprodução YouTube

Grande entendedor do ofício, ele percebeu que o seu maior valor estava no saber que acumulou ao longo da vida e no trabalho que desenvolve. E o marco, segundo ele, foi quando recebeu uma visita de jornalistas portugueses. O mestre se desculpou com os repórteres pela simplicidade da casa onde os recebia. E escutou deles que estavam ali para conhecer a pessoa que ele era. A partir desse dia, não sentiu mais vergonha. Compreendeu que ninguém o visitava para reparar no patrimônio que acumulou, mas para conhecê-lo.

Foto: reprodução YouTube

Essas histórias estão no curta que retrata a riqueza da tradição que seu Bené preserva. Ele é um dos personagens importantes que ajudam a manter viva a cozinha paraense, considerada uma das mais autênticas e originais do país. Fortemente influenciada pela culinária indígena, recebeu influências também dos africanos e europeus, principalmente os portugueses. Lembrando que a capital Belém foi eleita pela Unesco Cidade Criativa da Gastronomia e tornou-se uma referência mundial em turismo gastronômico.

Seu Bené foi descoberto durante as expedições do Projeto Fartura. A equipe já percorreu mais de 77 mil quilômetros em todo o território nacional em busca de histórias, personagens, ingredientes e receitas. Foram mais de 264 cidades visitadas e cerca de 600 pessoas entrevistadas. O conhecimento é transformado em conteúdo e disponibilizado no site e redes sociais, vídeos, livros, programas de rádio e em projetos customizados.

Com o prêmio japonês, o curta “O Mestre da Farinha”, com direção de Leandro Miranda e Luiza Fecarotta e produção de Adriana Benevenuto, contabiliza sua terceira medalha. Em 2019, esteve no pódio como “Best South American Film” e “People’s Choice Awards” na categoria “Documentários” de um dos mais importantes festivais de cinema de turismo do mundo, o ART & TUR, em Portugal.

Serviço:

Assista ao curta no YouTube: “O Mestre da Farinha”.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
430
Article Categories:
Chefs e Mestres