Quarentena: alimentos que acalmam e aliviam a ansiedade

Por Isabel de Andrade*

Pesquisas mostram que uma alimentação rica em frutas, vegetais, legumes, proteína magra e grãos integrais pode dar uma mãozinha para gerenciar a ansiedade de forma natural. Em tempos de quarentena, e para levar para a vida, a nutricionista do Centro Universitário Una, Júnea Regina Pires Drews, elencou alimentos que ajudam a diminuir a agitação e a promover a calma em tempos de reclusão.

A nutricionista Júnea Drews, da UNA, dá dicas de alimentos que fortalecem e ajudam a diminuir a ansiedade ( Foto: divulgação)

Bebidas fermentadas e queijo auxiliam no aporte de bactérias saudáveis que estão associadas com o aumento da felicidade e, em algumas pessoas, reduzem a ansiedade e o estresse. “O consumo de bactérias boas tem efeitos positivos na saúde do cérebro. Para aumentar a multiplicação delas no nosso intestino podemos consumir fibras de alimentos naturais como, verduras, legumes e frutas”, diz.

A especialista indica o consumo de castanhas, cogumelos e soja. Eles possuem selênio, nutriente que melhora o humor e reduz as substâncias ligadas ao estresse no organismo (que é elevado em pessoas nervosas). Mas, que optar pela castanha do Pará, por exemplo, não deve consumir mais do que uma unidade por dia. “Uma dica é bater a castanha junto com um suco ou vitamina”, diz. Esses alimentos ainda contêm vitamina E, que é ótima para auxiliar no combate aos sintomas de depressão.

Confira as dicas de alimentação que ajudam a combater o estresse e a ansiedade ( Foto: Pixabay)

O chá de camomila possui propriedades relaxantes e flavonoides capazes de controlar os sintomas da ansiedade. O chá Verde contém um aminoácido chamado teanina, com propriedade calmante que contribui para diminuir o estresse. A teanina ainda faz aumentar a produção de serotonina e dopamina (neurotransmissores que atuam diretamente no cérebro). “Você pode usá-lo como substituto para refrigerantes, café e bebidas alcoólicas. Mas, não utilize no período da tarde e noite, pois pode atrapalhar o sono”, orienta Júnea.

O chocolate amargo é uma boa fonte de magnésio que pode reduzir os sintomas da depressão e melhorar o humor. Ainda possui flavonoides e alto teor de triptofano, que auxiliam na proteção dos neurônios. Na escolha do chocolate amargo, prefira os que têm 70% ou mais de cacau. “O consumo de 40 gramas ao dia já é suficiente”, alerta a nutricionista.

A cúrcuma contém a curcumina que ajuda a diminuir ansiedade, pois reduz produtos tóxicos no corpo resultantes do estresse. Pode ser adicionada em diversos pratos, já que não tem gosto tão forte.

A vitamina D presente em carnes brancas, peixes (salmão, sardinha e mariscos), ovo, leite, fígado e queijos é de grande importância para o auxílio no combate à depressão, estresse e desânimo.

O ovo é rico em vitamina D, excelente fonte de proteína, essencial para o crescimento e desenvolvimento. Ele também contém triptofano (aminoácido essencial) que ajuda na produção da serotonina, um neurotransmissor que regula o humor, o sono, a memória e o comportamento, o que auxilia, indiretamente, no alívio da ansiedade.

Os peixes (ricos em gordura) como o salmão, cavala, sardinha, truta e arenque são ricos em ômega-3, que ajuda a regular os neurotransmissores, reduzir a inflamação provocada por agressores, como os radicais livres, e promover a função cerebral saudável e podem reduzir os níveis de ansiedade.

Semente de abóbora e banana são excelentes fontes de potássio. Elas auxiliam no gerenciamento da pressão arterial e, indiretamente ajudam a reduzir os sintomas de estresse e ansiedade. “Semente de abóbora contém zinco, que está envolvido diretamente ao humor. Os maiores locais de armazenamento de zinco no corpo estão nas regiões do cérebro envolvidas com as emoções”, orienta a nutricionista.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
1 1
Views:
1169
Article Categories:
Chefs e Mestres