Torresmo Pururuca: um símbolo da gastronomia mineira

Viva a Gastronomia Mineira! Como não podemos ir ao bar, trazemos o bar até você. Abra uma ou mais cervejas geladas ou mesmo uma cachaça artesanal e prepare o seu torresmo pururuca. Cada um tem o seu segredo, mas para quem desejar, acompanhe a receita do Bar Tim Tim em Belo Horizonte.

Viva a Gastronomia Mineira! Como não podemos ir ao bar, trazemos o bar até você. Abra uma ou mais cervejas geladas ou mesmo uma cachaça artesanal e prepare o seu torresmo pururuca. Cada um tem o seu segredo, mas para quem desejar, acompanhe a receita do Bar Tim Tim em Belo Horizonte.

Parabéns a todos os profissionais das cozinhas de Minas

Neste dia 5 de julho, comemoramos o dia da gastronomia mineira, e não poderíamos deixar de homenagear os botecos de Belo Horizonte e de todo o estado, grandes representantes de nossas melhores tradições gastronômicas regionais e históricas, que valorizam e promovem a imagem de Minas Gerais, pelos diversos e maravilhosos sabores e principalmente pela alegria com que recebem os visitantes. Parabéns a todos os botequeiros e também aos milhões de consumidores que tanto valorizam nossa cultura!

Como símbolo desta homenagem, o Territórios Gastronômicos escolheu um pequeno estabelecimento de BH para representar todos os milhares de bares e botecos que cultuam o torresmo, uma de nossas maiores referências das cozinhas de Minas. O Bar do Tim Tim ou Bar do Nelson, no bairro Santa Inês, pode ser pequeno no tamanho, mas é um gigante como representante desta tradição. Poderíamos aqui citar centenas de representantes merecedores desta distinção, pela qualidade de seus petiscos pururucantes, como por exemplo, o bar do Bigode em Juiz de Fora, os botecos do Mercado Central de Bh e uma infinidade de outros templos de nossa gastronomia popular espalhados em cada cantinho de Minas Gerais.

Sintam-se todos abraçados e homenageados pelo Territórios Gastronômicos nesse dia tão importante para nós mineiros.

Torresmão de barriga

Por: Helena Maria da CostaBar do Nelson*

Ingredientes:

  • 2 kg de toucinho de barriga (ao comprar, pedir tiras finas, com pouca gordura e mais carne)
  • Gordura de porco para fritar
  • 1 colher e meia (sopa) de tempero caseiro (alho e sal mais sal do que alho, para não ficar escuro)

Modo de preparo:

  • Cortar o toucinho de barriga em tiras de aproximadamente dois palmos de comprimento e três dedos de largura.
  • Lavar em água corrente e, em seguida, passar água fervente nas tiras.
  • Repetir o processo.
  • Passar o tempero no toucinho e deixar descansar por 15 minutos.
  • Em uma panela grande, levar ao fogo 1,5 litro de banha de porco para 10 tiras de toucinho.
  • Quando estiver quente (mas não muito), pôr a carne com a pele virada para cima.
  • Tampar e, quando começar a estalar, abrir a panela.
  • Com muito cuidado, mexer o torresmo, para não agarrar no fundo.
  • Quando parar de estourar, desligar o fogo, retirar a carne e esperar a gordura esfriar um pouco.
  • Cuidadosamente, transferir a gordura para outra panela.
  • Ligar o fogo e deixar esquentar por cerca de 15 minutos.
  • Pôr o torresmo e deixar por aproximadamente 5 minutos ou até pururucar bem.

*Receita fornecida por Helena Maria da Costa, do Bar do Tim Tim em Belo Horizonte, para o Projeto Sabores de Minas.

Reserva especial

 Juliana Flister
Nelson Geraldo e o filho Márcio – Bar do Tim Tim (foto: Juliana Flister)

Dizem que os melhores perfumes se encontram nos menores frascos. É verdade que a frase é batida, mas traduz com perfeição a visita ao Bar do Tim Tim, aberto há 27 anos no Santa Inês, Região Leste da capital. Com cardápio que não sofreu alterações desde que a casa foi criada, o bar oferece a cada dia da semana um tira-gosto diferente. Mas não vamos falar aqui da dobradinha, das panquecas e das outras opções que também nos foram recomendadas.

Hoje é dia de reverenciar o rei da apertada cozinha do bar, que dá as caras apenas a partir das 20h, e em quantidade limitadíssima. Por dia, são preparadas apenas 15 unidades do suculento torresmão de barriga, que chega à mesa finamente fatiado. Nelson Geraldo, que administra o bar ao lado do filho Márcio Amaral, explica o porquê de o petisco ter produção tão reduzida: Encontrar a carne não é fácil.

Tem que ser a peça mais fininha, com mais carne do que gordura. Além disso, nossa cozinha é muito pequena e a preparação do torresmo dá muito trabalho. Às 16h tem início o ritual, que de fato requer muito cuidado, inclusive para que o cozinheiro não se queime. Há aqueles que, para garantir sua porção do petisco, deixam a encomenda feita logo cedo. E, democrático que é, Nelson não permite que um único freguês peça muitas unidades.

Mapa dos Territórios Gastronômicos de Minas Gerais: O município de Belo Horizonte está localizado no Território Central/ Região Metropolitana

EA/TG – CENTRAL/METROPOLITANA

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
1 1
Views:
856
Article Categories:
Receitas