Aprenda a fazer o famoso biscoito da Mestra Terezinha

Outra deliciosa receita temperada com uma linda história da Mestra Terezinha, do distrito de Alagoas no município de Patos de Minas. Mais uma jóia como tantas outras garimpadas nas cozinhas e nos Quintais de Minas Gerais

Outra deliciosa receita temperada com uma linda história da Mestra Terezinha, do distrito de Alagoas no município de Patos de Minas. Mais uma jóia como tantas outras garimpadas nas cozinhas e nos Quintais de Minas Gerais

Biscoito de polvilho frito da D. Terezinha

Por: Carla Dias e Nayara Lima

Da Série Quintais e Quitandas de Minas Gerais*

Ingredientes:

  • 3 medidas (copo americano) de polvilho doce ou fécula
  • Sal à gosto
  • 1/3 da medida (copo americano) água para sovar
  • 2/3 da medida (copo americano) de manteiga de porco(banha) para sapecar.
  • 2 a 3 ovos (colocar um a um para ver o ponto)

Preparo:

  • Coloque o polvilho e o sal em um recipiente que aguente calor e misture.
  • Em seguida sove com a água fria. Você aperta e o polvilho toma a forma da sua mão, aí está bom de sovar.
  • Em seguida aqueça a manteiga de porco, quando estiver quente, sapeque a mistura e mexa.
  • Agora é a hora do segredo. Não coloque os ovos de uma vez. Ponha um a um e veja o ponto, deve ficar no ponto de pão de queijo mais mole.
  • Para fritar o segredo é usar sempre manteiga (banha) pouco aquecida, nunca muito quente.

Uma receita cheia de segredinhos e lindas histórias

D. Terezinha também tem um segredo pra isso, como a família é grande, ela prepara duas panelas com a banha, enquanto frita em uma, a outra esfria e depois ela inverte as panelas.

Essa receita é amada por todos os filhos e netos e quase sempre eles pedem para que ela faça. Algumas vezes ela acrescenta queijo curado à massa para dar outro sabor, mas adverte: leles não vão crescer tanto com a adição de queijo.

Outro detalhe é a panela de fritar, ela precisa ser grande, pois os biscoitos crescem muito, se você colocar muitos biscoitos, não vai conseguir fritar, pois a panela vai ficar muito cheia, lembra d. Terezinha.
Um segredinho à parte é esperar que fritem bastante para que fiquem bem sequinhos. Se tirar da fritura antes da hora eles ficam “muxibentos” como se diz na roça.


Essa receita d. Terezinha aprendeu de pequena, vendo a mãe fazer. Tem gosto de infância e lembrança. A história por trás desse biscoito simples é como a mãe na roça, fazia com poucos e baratos ingredientes alimento para tantos filhos. É uma coisa linda de se ver, lembra a multiplicação de pães, o milagre dos biscoitos crescendo na panela. É quase poético ver a satisfação dela e os olhos dos netos brilhando de alegria e competindo pelo maior biscoito.
Uma última lembrança de d. Terezinha sobre os biscoitos é que quando sua mãe, d. Maria Luiza, fazia, eles não ficavam tão sequinhos. “Mamãe era apressada em tudo e tirava os biscoitos fora da hora, aí rapidinho eles murchavam, por isso eu logo que cresci comecei a fazer para deixar fritar mais tempo. mas mesmo murchos eram deliciosos e minha mãe fazia para 7 filhos com muito carinho e todos esperavam sua vez de comer do lado da fornalha dela”, conta d. Terezinha.
Terezinha José da Cunha Lima (nasceu em Alagoas, distrito de Patos de Minas)

*Esta receita foi preparada pela Mestra Terezinha José da Cunha Lima de Alagoas, distrito de Patos de Minas especialmente para a Chef Carla Dias, e Nayara Lima, nossas colaboradoras do Territórios Gastronômicos do Alto Paranaíba – MG

Mapa dos Territórios Gastronômicos: O município de Patos de Minas está localizado no Território Cerrado / Alto Paranaíba

EA/TG – CERRADO / ALTO PARANAÍBA

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.