Nutrição e Saúde: alimentos de verdade e a volta para a cozinha

Alimentos naturais, orgânicos e a ciência por trás dos cardápios são receitas de saúde e bem estar. A importância do cuidado com a alimentação é a discussão feita pela nutricionista Gláucia Hübner hoje, 31 de agosto, quando é comemorado o Dia do Nutricionista.

Alimentos naturais, orgânicos e a ciência por trás dos cardápios são receitas de saúde e bem estar. A importância do cuidado com a alimentação é a discussão feita pela nutricionista Gláucia Hübner hoje, 31 de agosto, quando é comemorado o Dia do Nutricionista.

Por Gláucia Hübner*

Hoje é dia do Nutricionista

Nutricionista é o profissional que se dedica a promover, recuperar e manter a saúde através dos alimentos. Tudo isso, é claro, com o imenso desafio de tornar as refeições não só saudáveis, mas também saborosas.

Alerta ligado na alimentação

Nos últimos anos, temos observado um aumento dos casos de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão arterial, osteoporose, Parkinson e até mesmo problemas respiratórios, além das hipersensibilidades alimentares, como as intolerâncias a alimentos específicos e as alergias tardias. Muito disso se deve à adesão, nas últimas décadas, ao consumo de alimentos ultraprocessados. Compostos de inúmeras substâncias químicas, eles alteram não só o funcionamento do organismo, mas também o comportamento das pessoas. Esses alimentos têm alto teor de farinhas refinadas, açúcares, adoçantes artificiais, corantes e temperos à base de glutamato monossódico que são extremamente viciantes, calóricos e pobres em nutrientes. O consumo crônico dos conservantes e demais aditivos químicos provoca alterações na microbiota intestinal, comprometendo a imunidade do corpo, alterando o fluxo intestinal, favorecendo alergias alimentares. Acreditando estar se nutrindo, os consumidores vinham comendo sem, de fato, se alimentar, deixando o organismo em déficit nutricional e com reduzida capacidade de funcionamento.

Alimentação saudável já

Temos uma ou duas gerações de pessoas que se distanciaram da cozinha por não saberem cozinhar e, por isso, não consomem alimentos frescos com regularidade. As gerações atingidas acabam provocando um efeito cascata nas próximas e, hoje, já observamos o aumento do número de crianças com hiperatividade. Alguns casos mais graves vêm acompanhados de déficit de atenção e autismo, com grande chance de se tornarem adultos compulsivos, obesos e com maior vulnerabilidade às doenças auto-imunes e à depressão.

Um dos desafios atuais do nutricionista é exatamente esse: mostrar à população que é possível ter prazer na alimentação, desde que a escolha dos alimentos e a forma de preparo sejam adequadas. E, com isso, ajudar o paciente a começar a sentir alívio de sintomas que até então eram vistos como normais, tais como enxaqueca, falta de energia e de motivação, agitação mental, falta de foco, constipação intestinal, má digestão, azia, grande produção de gases e insônia, dentre outros.

Foto: Pixabay

Vivemos um momento de resgate da comida de verdade, do consumo de orgânicos, uma busca por produtos mais naturais. Isso está promovendo uma movimentação no setor industrial, que, felizmente, tem revisto processos de produção visando a redução de aditivos químicos, teores de sódio, açúcar, corantes artificiais, uso de temperos à base de glutamato monossódico e gorduras trans. Para fazer com que os produtos sejam mais saudáveis, o uso de matérias-primas de melhor qualidade e procedência é fundamental. Finalmente, organizações agroecológicas e pequenos produtores estão tendo seu real valor. O mesmo acontece com os suplementos. Para aquelas pessoas que precisam de uma suplementação alimentar, como a maioria dos atletas, por exemplo, a qualidade dos produtos impacta diretamente tanto na saúde quanto na performance.

Mercado de trabalho

A atuação dos nutricionistas está cada vez mais difundida no mercado de trabalho, pois as frentes de atuação se diversificam a cada dia: hospitais, restaurantes, academias, consultórios, padarias, supermercados, indústrias, marketing, programas de alimentação coletiva e saúde pública, dentre outros.

Por trás de cada preparação e cardápio existe muita ciência. E não podemos nos esquecer da gastronomia, uma vez que comida envolve nutrição e afeto, além de criar e resgatar memórias afetivas. Não é à toa que vem surgindo uma imensa geração de chefs com as mais variadas especialidades: comidas típicas e regionais, refeições e lanches para pessoas com restrições alimentares, aquela comidinha com temperinho de casa de vó, jantares comemorativos, churrascos, sobremesas, enfim, tem pra todo gosto! E essa interação profissional é super importante, pois, através dela, o resultado de um planejamento alimentar fica ainda melhor. Afinal, investir em uma boa alimentação é garantia de longevidade e bem estar.

Serviço:
Instagram: @glauciahubner
Facebook: Nutricionista Gláucia Hübner Gonçalves
Canal do YouTube: Nutricionista Gláucia Hübner Gonçalves

*Gláucia Hübner, colaboradora do Territórios Gastronômicos.
Nutricionista Clínica Funcional.
Atende em consultório e de forma online.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
236
Article Categories:
Coluna