Minas 300 anos: petiscos de botecos que temperaram nossa história

Nas comemorações dos 300 anos de Minas Gerais não poderíamos deixar de homenagear os bares de Minas e de Belo Horizonte a Capital dos Botecos, com ricas histórias e petiscos que marcaram época. Conheça a receita das Minialmôndegas 51 do tradicional Bar do Primo cuja história se iniciou em 1953. Este petisco foi criado para homenagear este tradicional reduto quando completou 51 anos em 2004.

Nas comemorações dos 300 anos de Minas Gerais não poderíamos deixar de homenagear os bares de Minas e de Belo Horizonte a Capital dos Botecos, com ricas histórias e petiscos que marcaram época. Conheça a receita das Minialmôndegas 51 do tradicional Bar do Primo cuja história se iniciou em 1953. Este petisco foi criado para homenagear este tradicional reduto quando completou 51 anos em 2004.

Minialmôndegas 51 – Petisqueira do Primo

Da Série: Petiscos dos Botecos de Minas Gerais*

Ingredientes:

– 500 g de carne bovina moída (patinho ou outro corte sem muitas nervuras)

– 100 g de linguiça calabresa moída

– 1 ovo

– 1 cebola ralada

– Tempero caseiro e sal a gosto

– 1 colher (sopa) de farinha de trigo, mais o suficiente para passar em volta das almôndegas

– 1 colher (sopa) de farinha de rosca

– Cheiro-verde a gosto

– Meia xícara (chá) de vinho branco seco

– Óleo para fritar

Para o molho

– 2 tomates picados

– 1 cebola picada

– Meio pimentão picado

– 1 colher (sobremesa) de colorau

– 1 colher (sopa) de óleo

– 1 colher (chá) de tempero caseiro (alho e sal)

– 1 xícara (chá) de caldo de carne (pode ser o industrializado diluído em água ou o caseiro)

Modo de Preparo:

Misturar os ingredientes da almôndega, exceto o vinho branco, sendo que por último vai o cheiro-verde. Amassar apenas para a massa ficar homogênea. Molhar as mãos com vinho branco e enrolar as almôndegas, com aproximadamente 4 centímetros de diâmetro. Passá-las na farinha de trigo e reservar. Aquecer óleo suficiente para cobrir as almôndegas e fritá-las até ficarem douradas. Deixá-las em uma peneira para escorrer e reservar.

Em uma panela, aquecer o óleo e pôr o tempero para o molho. Refogar o tomate, a cebola, o pimentão e o colorau. Pôr o caldo de carne. Assim que levantar fervura, abaixar o fogo. Pôr as almôndegas, tapar a panela e deixar cozinhar por 10 minutos. Servir com batatas fritas e pãezinhos e decorar com pimenta biquinho e ovos de codorna.

VEJA MAIS RECEITAS DE PETISCOS TRADICIONAIS DOS BARES DE MINAS GERAIS

Torresmo Pururuca do Bar Tim Tim em BH

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 20200709165429318682o.jpg
Minialmôndegas 51 da Petisqueira do Primo

*Receita fornecida por Relines Blanco, da Petisqueira do Primo para o Projeto Sabores de Minas em 2004

Aroma de lembranças

Das esquinas de Minas, muita história há para se contar. Se elas fizeram fama na música, também precisam ser lembradas quando o assunto é boemia. É o caso do encontro das ruas Santa Catarina e Aimorés, no Bairro de Lourdes, Região Centro-Sul de BH, onde há quase seis décadas fica um dos mais tradicionais redutos boêmios de Belo Horizonte. A Petisqueira do Primo foi aberta pelo casal espanhol José Garcia Ballesteros e dona Nina, logo que os dois aterrissaram na capital mineira.

O jeito peculiar do “Primo” e as mãos de fada de dona Nina na cozinha logo ficaram famosos, atraindo gente ilustre. Relines Garcia, que assumiu o negócio dos pais, mostra nas paredes um pouco do que já foi vivido por ali. Emoldurados, os quadros com conhecidos e gente anônima fazem mais do que decorar: contam histórias. É bem provável, por exemplo, que muitas importantes decisões políticas do país tenham sido tomadas naquelas mesas, frequentadas por nomes como Tancredo Neves e José de Alencar.

E é do prato favorito do ex-vice-presidente que Relines revela a receita, criada em comemoração aos 51 anos da casa. Prove você também.

Mapa dos Territórios Gastronômicos de Minas Gerais: Belo Horizonte está localizada no Território Central/Região Metropolitana

EA/TG – CENTRAL/REGIÃO METROPOLITANA

Veja mais histórias e receitas dos Botecos de MInas Gerais

Receita do tradicional Bar do Licinho em Ipatinga

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.