Alguém tem a receita do risoto?

O professor Rafael Duarte comprou todos os ingredientes para preparar um risoto, mas quando já estava pronto para começar a cozinhar se deu conta de que não tinha a receita do risoto. Confira o texto do colunista de Territórios Gastronômicos que sempre vem recheado com deliciosas pitadas de humor.

O professor Rafael Duarte comprou todos os ingredientes para preparar um risoto, mas quando já estava pronto para começar a cozinhar se deu conta de que não tinha a receita do risoto. Confira o texto do colunista de Territórios Gastronômicos que sempre vem recheado com deliciosas pitadas de humor.

*Rafael Duarte
Professor de Literatura
@rafaelduarte_silva

Domingo é um dia que eu gosto. Não muito, mas gosto. Gosto pelo clima de tempo livre, sem regras, leve e confortável. Não gosto porque ele antecede a segunda-feira e a segunda é uma situação difícil. Sempre escrevo no domingo, no fim do dia, depois de ter feito tudo que programei e também o que não programei. Nesse último, por exemplo, pensei em acordar cedo pra assistir a um filminho antes de ir à padaria, buscar uma broa, uma rosca e um pão quentinho pra derreter a manteiga e beber com o café recém passado. Isso porque, com o pão de ontem, eu, na maioria das vezes, faço o seguinte: corto em quatro pedaços, molho no leite, coloco na frigideira, depois de esquentar manteiga e açúcar, jogo canela por cima e me delicio com essa iguaria caramelizada, que eu imaginava se chamar rabanada, mas descobri que não é assim que se prepara essa sobremesa clássica, no entanto, tudo bem. Eu adoro o pão feito desse jeito e Tarsila também, portanto, pra mim, já é o suficiente pra continuar seguindo o preparo da rabanada sem que no fim não se torne uma rabanada. Mas, enfim… Não fiz nada disso, acordei meio-dia, com uma baita fome, devorei um biscoitinho salgado com qualquer coisa, bebendo água pra ajudar a descer e fui logo arrumar a casa.

Arrumei tudo pensando no que ia preparar pro almoço, que seria servido, claro, lá pelas quatro da tarde. Enquanto passava o pano – que fique esclarecido – no chão, lembrava da feijoada da mercearia do bairro. Nesse tempo chuvoso e preguiçoso uma comida pesada cairia bem, mas, descartei a possibilidade de sair de casa pra buscar comida. Depois pensei em pedir uma parmegiana ou uma lasanha através de algum app de entrega de comida, mas desisti também. Entrar nesse cardápio infinito de opções virtuais é como escolher um filme nas plataformas de serviços de streaming: escolhemos, escolhemos, escolhemos e escolhemos pra, no fim, depois de horas, não assistir nada. A minha decisão final e irredutível foi que iria ao supermercado depois de lavar a cozinha e estender a roupa no varal. Isso aconteceu às cinco da tarde, mas aconteceu.

O que eu não consigo explicar – nem pra mim mesmo – é porque eu insisto em ir ao supermercado sem decidir o que quero preparar. Sempre que vou sem objetivo, quando me dou conta, parece que estou em um shopping e que cada seção é uma vitrine me chamando de consumista. Eu fui só pra comprar as coisas pra fazer um meio almoço meio jantar, mas acabei levando os produtos de limpeza que terminaram durante a faxina da semana. Um horror, porque, além disso, enchi o carrinho de petiscos com bastante sódio e conservantes, pra despistar a fome até o almoço-janta ficar pronto. É aí que revelo mais um erro meu: ir ao supermercado com fome. Nenhum adulto deveria insistir em um ato como esse. Isso é uma verdadeira armadilha pro tal “paladar infantil”. Todos aqueles pacotes de salgadinhos com textura de isopor e sabor igual parecem painéis de neon exigindo serem mastigados. Eu não sei você, mas não posso escapar daquilo que é maior que eu. Por fim, optei por fazer um risoto.

Foto: reprodução Instagram @chefrogerioduarte

Eu adoro risoto. Adoro a textura, a temperatura, a mistura de sabores, a cremosidade, a beleza que fica no prato. Adoro aquela sensação de comida simples e sofisticada ao mesmo tempo. Uns legumes grelhadinhos pra acompanhar e uma bebida leve pra fechar a noite. Orgulhoso de ter feito a escolha certa, lembrei: não sei fazer risoto. Eu não sei fazer risoto e me desculpem, porque esse texto vai ficar incompleto. Tô indo agora buscar um canal de culinária pra aprender o modo de preparo e depois subverter a receita que me ensinarem. Depois eu conto.

Rafael Duarte é colaborador de Territórios Gastronômicos

Nós resolvemos dar uma ajudinha ao professor e selecionamos três receitas de risoto para que não tenha problemas em preparar o prato. Aproveite a dica e teste também as receitas.

Aprenda a fazer um risoto de limão siciliano com pistache

Risoto de carne seca e cogumelos

O risoto perfeito

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
6 1
Views:
256
Article Categories:
Coluna