Minas 300 anos: Pastéis de Angu de Conceição do Mato Dentro

Uma personágem ímpar, histórias lindas e uma receita histórica, herança das senzalas. Aprenda a fazer os famosos pastéis da Mestra Lélia de Conceição do Mato dentro e se emocione com sua história e generosidade.

Uma personágem ímpar, histórias lindas e uma receita histórica, herança das senzalas. Aprenda a fazer os famosos pastéis da Mestra Lélia de Conceição do Mato dentro e se emocione com sua história e generosidade.

A Mestra Lélia Evangelista e seus famosos pastéis de angu

Da Série: Quintais e Quitandas de Minas Gerais*

Por Eduardo Avelar

Olá amigos da cozinha!

Hoje trazemos a vocês uma receita mais do que especial. Os pastéis de angu da cidade de Conceição do Mato Dentro, um município histórico do Caminho dos Diamantes, na Estrada Real, fazem parte das principais referências das Identidades Gastronômicas regionais e de toda Minas Gerais.

Rivalidades à parte com os também deliciosos e históricos pastéis de Itabirito, as quitandas da Mestra Lélia tem um lugar guardado no coração dos mineiros e de todas as pessoas que carregam no seu DNA a generosidade e hospitalidade deste nosso povo maravilhoso.

Trazemos também, um vídeo gravado ha vários anos na casa de nossa artista, quando seu marido Antônio Evangelista, um contador de histórias da cidade ainda era vivo.

O Programa de TV Sabores de Minas foi gravado na casa de Dona Lélia em 2010, e nos traz lindas histórias, que chegaram a emocionar a todos envolvidos na produção, e certamente a todos que assistiram.

Uma mulher exemplar, guerreira, mãe, esposa e quitandeira, que certamente faz parte da galeria das mais importantes referencias de nossa história gastronômica de Minas Gerais, e motivo de grande admiração e orgulho para os cidadãos de Conceição e para todos que tiveram o privilégio de conhecê-la.

Espero que vocês apreciem esses momentos, que nos enchem de prazer em compartilhá-los com vocês.

Depois de se deliciarem com a história, experimentem a receita que irá temperar a sua emoção.

Saudações!

Clique aqui e veja o Programa Sabores de Minas gravado em 2010 com Dona Lélia e Seu Antônio em Conceição do Mato Dentro

Receita

Ingredientes:

-1 kg de fubá de moinho d’água

-1 litro e meio de água

-700 g de carne moída

-2 cebolas médias

-óleo para fritar

-tempero de alho e sal, cheiro verde, colorau, folhas de louro, pimenta malagueta a gosto

COMO FAZER

Bater no liqüidificador meio litro de água, uma cebola, cheiro verde, sal com alho, louro e pimenta.

Acrescentar 400 g de fubá e bater novamente.

Despejar a mistura em um litro de água fervente, mexendo sempre, com uma colher de pau, para não empelotar.

Quando estiver com uma consistência cremosa, tampar e deixar cozinhar por uma hora, em fogo alto.

Depois de bem cozido, despejar os 600 g de fubá restantes e deixar cozinhar por mais dez minutos, mexendo sem parar. O resultado será uma mistura consistente.

Virar numa tigela. Colocá-la dentro de um saco plástico, molhado, para esfriar (e não deixar entrar ar).

Depois de fria, sovar a massa até ficar na consistência ideal para abrir com a mão.

Umedecer as mãos com água, fazer uma bolinha com o angu, achatá-la e abri-la com os dedos (na palma da mão) até ficar fina.

Numa panela com um pouco de óleo, colorau e o restante dos temperos, refogar a carne moída. Deixar secar.

Rechear a massa com a carne (que não deve estar quente) e fechar o pastel.

Apertar as bordas com os dedos.

Numa panela com óleo farto e bem quente, fritar dois pastéis de cada vez e só mexer quando corar (se o pastel estiver congelado, deve ser frito assim que sair do congelador).

Rende 40 pastéis.

*Receita fornecida por Lélia Maria Evangelista, de Conceição do Mato Dentro para o Projeto Sabores de Minas no início dos anos 2000

Herança da Senzala

Os ensinamentos foram passados por uma escrava da Fazenda São José, no Serro.

O tempo passou, e quando a mãe de Lélia Maria Generoso Evangelista ficou viúva, com 18 filhos para criar, não titubeou: decidiu fazer pastéis de angu para ajudar a manter a família.

Lélia, hoje com 62 anos, era criança na época, mas aprendeu logo a receita. “A gente foi criada com costura e cozinha, desde pequena”, conta ela, numa prosa só. Hoje, é famosa por seus pastéis, em Conceição do Mato Dentro.

Mas dona Lélia não dedica seu tempo só à culinária. Formada em educação física pela UFMG, dá aulas numa escola da cidade. “Sou apaixonada pelos meus meninos e lá eu esqueço do mundo”, diz.

Dona de uma perseverança emocionante, já se curou de uma leucemia, mesmo depois que o médico disse que só teria mais 60 dias de vida. “Tinha fé que não morreria. Já se passaram dez anos e aqui estou”, conta, orgulhosa, dona de uma sabedoria popular de impressionar.

E a tradição na gastronomia vai se perpetuando na família. Dos três filhos, um é chefe de cozinha em um restaurante francês de Londres.

Por aqui, Lélia segue no ofício de fazer maravilhosos pastéis – além de biscoitos caseiros – e conquista admiradores com sua dedicação e simpatia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.