Figos recheados: lindos e deliciosos

Aprenda a preparar maravilhosos doces recheados e conheça a história de uma quitandeira do sul de Minas que formou o filho em medicina com a renda da produção dessa iguaria

Aprenda a preparar maravilhosos doces recheados e conheça a história de uma quitandeira do sul de Minas que formou o filho em medicina com a renda da produção dessa iguaria

Figo recheado com olho de sogra

Da Série: Doces dos Quintais de Minas Gerais*

Ingredientes:

Para o doce de figo

– 5 kg de figo

– 3,5 kg de açúcar cristal

– Açúcar refinado para cristalizar o doce depois de pronto

– Água para cozinhar

Para o recheio

– 500 g de coco ralado

– 400 g de açúcar refinado

– 1 lata de leite condensado

– 5 gemas de ovos caipiras passadas na peneira

– 1 colher (café) de essência de baunilha

Preparo:

Retirar a pele dos figos. Para isso, pode-se encher um saco de pano com brita fina e sovar os frutos, embaixo da água, até que fiquem lisos. Fazer um corte em cruz na parte arredondada do figo, de modo que forme uma cavidade onde será colocado o recheio.

Em um tacho de cobre, cozinhar os frutos, cobertos com um pano, com água suficiente para cobrir. Quando estiverem macios, desligar o fogo, escorrer a água e deixar esfriar.

Pôr mais água e levar ao fogo novamente, retirando quando levantar fervura.

Repetir o processo por mais duas vezes.

Escorrer a última água, pôr o açúcar e deixar no fogo até o açúcar derreter e virar uma calda.

Depois de deixar o figo nessa mistura por três dias, escorrer a calda e reservar os figos.

Para o recheio, misturar bem todos os ingredientes fora do fogo.

Levar ao fogo e retirar quando engrossar e começar a soltar da panela.

Esperar esfriar, fazer bolinhas e pôr dentro dos figos, cuidadosamente.

Passar o doce no açúcar refinado.

(foto: Beto Magalhaes)

*Receita fornecida por Maria Helena Freitas Barbosa, de Passos para o Projeto Sabores de Minas

(foto: Beto Magalhaes)
(foto: Beto Magalhaes)

Iguarias emocionantes

Na busca pelas preciosidades gastronômicas de Minas, os mais variados sabores encontrados no caminho ficam na memória. Contudo, são os personagens dessa verdadeira “saga”, com suas histórias de amor pela cozinha, que fazem a diferença na rica culinária mineira. Em Passos, a doceira Maria Helena Freitas Bastos é um exemplo perfeito. Há 18 anos no preparo dos mais saborosos e delicados doces, ela chega a se emocionar quando recorda o motivo pelo qual largou a profissão de costureira para cozinhar.

“Meu filho passou em primeiro lugar no vestibular para medicina, em São Paulo, mas não tinha como pagar a faculdade. Comecei a fazer doces para arcar com os gastos e não parei mais”, conta. A recompensa pelo esforço veio no dia da formatura do rapaz, data lembrada com orgulho pela mãe-coruja. “Eu me senti a pessoa mais feliz do mundo. Parecia que flutuava”, diz. Enquanto conta suas histórias e arruma a mesa de doces, uma música suave invade a casa e contribui ainda mais para atmosfera encantadora.

O responsável pela melodia é o marido de Maria Helena, que toca e conserta pianos. Também dono de boas histórias, Jaime ajuda no preparo de doces, seja ralando coco ou fazendo regra de três para calcular a medida dos ingredientes. Aos viajantes, só resta agradecer a doçura que emana não só das iguarias mas também do ambiente e de quem as produz.

Mapa dos Territórios Gastronômicos de Minas Gerais: O município de Passos está localizado no Território Mantiqueira/Sul Sudoeste

EA/TG – MANTIQUEIRA/SUL SUDOESTE


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.