Moqueca de pirarucu: harmonizando com cerveja

Acompanhe mais uma receita do chef Juliano Caldeira e suas dicas de harmonização com cervejas especiais. Confira!

Acompanhe mais uma receita do chef Juliano Caldeira e suas dicas de harmonização com cervejas especiais. Confira!

Moqueca de Pirarucu

Por: Juliano Caldeira*

Ingredientes:

  • 1 kg Filé de Pirarucu em cubos
  • Suco de 1 limão
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 tomate médio cortado em rodelas
  • 1 cebola média cortado em rodelas
  • 1/3 Pimentão Amarelo cortado em rodelas
  • 1/3 pimentão vermelho cortado em rodelas
  • 6 dentes de alho picados
  • 1 colher (chá) extrato de tomates
  • 1/3 maço coentro picado
  • 1/3 maço cebolinha picado
  • 1 colher (rasa café) semente coentro
  • 1 semente de cardamomo
  • 1 colher (rasa café) páprica picante
  • 1 colher (rasa café) açafrão da terra
  • 50 ml água
  • 200 ml leite de coco
  • 2 colheres (chá) azeite de dendê
  • 1 banana da terra picada

Modo de preparo:

  • Temperar o Pirarucu com sal, pimenta do reino e limão, reserve.
  • Grelhe a banana da terra e reserve.
  • Numa panela grossa refogue o alho, um pouco de cebola picadinha, extrato de tomates com 1 colher azeite de dendê.
  • Monte 2 camadas de cebolas, tomates, pimentões, banana da terra e o pirarucu e deixe em fogo baixo.
  • Num pilão bata a semente de coentro, cardamomo, páprica e açafrão, misture com a água e acrescente sobre as camadas do peixe, acerte o sal. Deixe cozinhar por 15 minutos em fogo baixo e a panela tampada.
  • Adicione o leite de coco, coentro picadinho, cebolinha e 1 colher de dendê no final.
  • Sirva com arroz branco, farofa ou com seu acompanhamento favorito e bom apetite.

Harmonizando

A dica de estilo da Cerveja de hoje é a Sour :

Cerveja de trigo de alta fermentação leve e refrescante. Teor alcoólico médio, amargor baixo, acidez bem presente. Destaque no aroma e sabor para a fruta utilizada. Pode ser complementada por especiarias.

A acidez lática é evidente, sendo de média-baixa a alta. Pode apresentar sabor de trigo em baixos níveis. Características da fruta devem ser evidentes, mas sem parecer artificial. Notas vindas de especiarias podem estar presentes para complementar o sabor da fruta, sem sobrepô-la. Amargor de lúpulo deve estar ausente.

Feita com malte de Trigo e malte Pilsen. No processo de fabricação ainda é incluído um lactobacilo que proporciona a acidez. A fruta é adicionada nas etapas finais da produção, podendo ser complementada com especiarias – desde que elas não sejam mais percebidas do que o aroma da fruta, que é uma característica dessa cerveja. Tecnicamente a cerveja é bem clara, podendo ser turva, com baixo índice de álcool (entre 4% e 5,5%).

Harmonização:

Como temos um peixe bem untoso, a acidez da cerveja pode ajudar a cortar a gordura do prato e limpar o paladar. Também ajuda na acidez já que o peixe pede um limão, que pode ser substituído pela cerveja.

A dica de hoje é a Cerveja Oro da Cervejaria Tarin. É uma cerveja que utiliza frutas na fabricação, e não só as nativas da nossa terra, mas aquelas que fizeram do Brasil lar de sua melhor versão, representando cada quintal brasileiro, neste primeiro rótulo, os que dão manga e maracujá. Uma suave acidez balanceada com dulçor e leve toque de pistache.

*

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
1 0
Views:
207
Article Categories:
Uncategorized