Capital mineira é escolhida como primeira parada do food truck de carne de plantas

Fazenda Futuro começa tour gastronômico por Belo Horizonte e apresenta aos mineiros os hambúrgueres de carne de planta versão 2030.

Fazenda Futuro começa tour gastronômico por Belo Horizonte e apresenta aos mineiros os hambúrgueres de carne de planta versão 2030.

Por Isabel de Andrade*

Pense em um food truck de hambúrgueres. Até aí, nada demais. Certo? Agora, imagine um food truck onde são servidos apenas hambúrgueres feitos de carne à base de plantas. Parece mentira, mas é a mais pura realidade. E foi essa a experiência gastronômica que a Fazenda Futuro trouxe para Belo Horizonte.

Durante cinco dias, os mineiros puderam provar dois tipos de sanduíches. O Original, carro-chefe da marca, é feito com pão, duplo smash Futuro Burguer 2030, cebola, molho especial e queijo do futuro, que é a versão do cheddar. Já o Rúcula leva pão, duplo smash Futuro Burguer Defumado 2030, queijo do futuro, caramelo de cebola e rúcula selvagem.

Tour gastronômico da Fazenda Futuro em Belo Horizonte ( Foto: Breno da Matta)

As receitas apresentadas aos mineiros fazem parte do cardápio da Futuro Station, a hamburgueria fundada pela marca em fevereiro deste ano em São Paulo e que funciona no sistema delivery. Lá, são oferecidos cinco tipos de sanduíches principais, além de uma novidade lançada por mês. Há também os acompanhamentos, como batata frita, refrigerante e sobremesas.

Não foi à toa que o tour da Fazenda Futuro teve início em Belo Horizonte. Segundo o coordenador de Marketing da empresa, Gregório Chefaly, responsável pela ação, os mineiros estão entre os principais “futuristas”, como são conhecidos os fãs da marca. Por isso, essa aventura gastronômica começou por aqui.

Futuro Burguer 2030: hambúrguer à base de plantas desenvolvido no Brasil ( Foto: Breno da Matta)

Os dois hambúrgueres apresentados são versões atualizadas. De acordo com a empresa, entre as melhorias implementadas no Futuro Burguer 2030, por exemplo, houve uma queda significativa dos teores de sódio e gordura. Também são utilizados na composição ingredientes naturais, como soja não transgênica, ervilha não transgênica, beterraba, além de óleo de coco e canola.

Melhorar os produtos e escutar a opinião dos consumidores são grandes preocupações. Por isso, a empresa costuma usar o conceito de atualização. E essa ideia está presente, inclusive, na escolha dos nomes. O Burguer 2.0, por exemplo, se transformou em Burguer 2030, termo alinhado com a Agenda 2030 de metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas – ONU – para o desenvolvimento sustentável do planeta.

A sustentabilidade é a essência da Fazenda Futuro, primeira foodtech brasileira a produzir carne de plantas com a mesma textura, suculência e gosto da carne animal. A startup foi criada em 2019 pelo empresário Marcos Leta. Em pouco mais de dois anos, já está presente em cerca de 10 mil pontos de vendas no Brasil e em 24 países. Tecnologia nacional que conquista o mercado externo.

El Choripan: sanduíche feito com Linguiça do Futuro, queijo, vinagrete e chimichurri ( Foto: reprodução Instagram)

Além dos hambúrgueres, a linha é composta por almôndegas, carne moída, linguiça e frango. Todos à base de plantas. Os produtos congelados estão disponíveis em supermercados, padarias e outros estabelecimentos da capital mineira há dois anos.

E engana-se quem pensa que o público-alvo da Fazenda Futuro são apenas os vegetarianos e veganos. A empresa aposta, principalmente, nos chamados “flexitarianos”, que têm uma dieta à base de carne animal. Afinal, ao adotar novos hábitos, eles podem ajudar a implementar as mudanças ambientais de que o mundo necessita. Por isso, a Fazenda Futuro não encara como concorrentes as indústrias vegan, mas sim os frigoríficos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
396
Article Categories:
Acontece
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments