Sorvete medicinal auxilia no tratamento de quimioterapia e outras doenças

Por Augusto Albertini

Flocos, chocolate, baunilha, morango… Quando perguntamos qual é o sorvete predileto, a maioria das pessoas tende a ter uma resposta bem parecida com estas, devido ao fato de os fabricantes de sorvete optarem por produzir uma variedade de sabores muito semelhante para atingir o grande público.

Em 2009, o empresário Luciano Magalhães decidiu inovar no ramo das sobremesas geladas. Naquela época, ele trabalhava fazendo poços artesianos, e sempre conversava com as famílias que ele atendia. Um dos assuntos mais recorrentes era a quantidade de frutas nativas que havia na região do cerrado. Esses papos renderam mais do que uma boa prosa e fizeram com que Luciano tivesse a ideia de criar sorvetes com sabores pouco explorados.

Vejta Também: Plantas medicinais previnem doenças e dão sabor às receitas

Assim nasceu a Gosto do Cerrado, uma sorveteria que conta com cerca de 200 sabores, alguns exclusivos. Entre as opções, é possível encontrar: mangaba, araçá, murici, umbu, castanha do pará, castanha de baru, abacate, capim santo, pinha, goiaba, queijo com doce de leite, maracujá de veado, etc. Alguns deles são encontrados na versão sem açúcar, e boa parte não contém lactose.

Luciano é o responsável pelas criações da Gosto do Cerrado (Foto: Reprodução / Facebook)

Para elaborar o sorvete, Luciano leva em consideração não somente os sabores, mas a consistência do produto. “Quando você consome um sorvete que não é bom, você identifica nos lábios, ele fica ensebando sua boca. Aquilo é gordura hidrogenada. Então, nós começamos a fazer um sorvete sem gordura, que é extremamente nutritivo”, comentou o empresário.

Sorvetes de ervas medicinais

Além dos sabores pouco comuns, a marca ganhou notoriedade por suas criações diferenciadas, sendo a principal delas os sorvetes de ervas medicinais.

Esses sorvetes possuem o sabor de chocolate, além de 300 miligramas de princípios ativos de plantas medicinais. Cada erva possui uma função diferente, como o tribulus terrestris, que estimula a produção de testosterona e progesterona; a maca peruana, indicada para as mulheres na regulação do ciclo menstrual; valeriana e kava kava, que auxiliam nos efeitos da abstinência causada pelo vício em entorpecentes e, além destes, há o sabor de tangerina e gengibre, que ajuda a controlar o enjoo e o mal-estar causados pela quimioterapia.

Sorvete de tangerina com gengibre ajuda a reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia (Foto: Divulgação)

Segundo o proprietário da Gosto do Cerrado, esses sorvetes não foram elaborados para serem sobremesas, e sim uma suplementação para ajudar pessoas que sofrem com medicamentos que possuem fortes efeitos colaterais. Além do mais, os sorvetes humanizam tratamentos que, muitas vezes, são hostis aos pacientes, como crianças, por exemplo.

De acordo com Luciano, a criação desses sorvetes é fruto de uma extensa pesquisa, junto a autoridades sérias da saúde. “Eu vou até o laboratório, eles isolam o princípio ativo, me dão o laudo internacional, me dão a quantidade em percentual que eu devo utilizar, e eu saboriso e envaso”, explica o empresário.

(Foto de capa: Reprodução / Facebook Gosto do Cerrado)

Augusto Albertini
Jornalista e colaborador do Territórios Gastronômicos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
5 0
Views:
720
Article Categories:
Acontece

All Comments