Biscoitos de Banha e Queijo: fornadas que contam a história de Minas Gerais

Aprenda duas receitas de biscoitos de polvilho, uma com banha e farinha de milho, e outra com queijo, que contam um pouco da história dos fornos de Pitangui, a sétima vila do ouro de Minas Gerais.

Aprenda duas receitas de biscoitos de polvilho, uma com banha e farinha de milho, e outra com queijo, que contam um pouco da história dos fornos de Pitangui, a sétima vila do ouro de Minas Gerais.

Biscoito de Banha e Biscoito de Queijo

Por: Sibila de Aguiar e Fernanda Alves de Souza


Da Série Quintais e Quitandas de Minas Gerais*

Ingredientes:

Biscoito de banha

– 1 kg de polvilho doce

– 1/2 xícara (chá) de farinha de milho

– 1 xícara (chá) de leite

– 1 colher (sopa, rasa) de sal

– 500 g de banha crua (porco caipira)

– 4 ou 5 ovos

Biscoito de queijo

– 500 g de polvilho doce

– 400 g de queijo-de-minas curado

– 3 a 4 ovos

– 1 pitada de sal

– 300 g de manteiga

Preparo:

Biscoito de Banha

Numa gamela, juntar a farinha, o leite e o sal. Deixar descansar por 15 minutos. Misturar o polvilho e mexer até ele ficar bem fino. Acrescentar a banha e sovar até que ela derreta, retirando as linhas. Quebrar os ovos, um a um, sovando sempre, até obter o ponto de enrolar. Modelar os biscoitos em forma de anel e levar ao forno (250 graus) durante 15 minutos. Rende 55 unidades (tamanho maior).

Biscoito de Queijo

Numa gamela, juntar o polvilho, o queijo ralado (no ralo fino), o sal e a manteiga. Sovar bem e adicionar os ovos, um a um, sovando até o ponto de enrolar. Modelar os biscoitos em forma de meia-lua, pôr num tabuleiro (sem untar) e levar ao forno pré-aquecido (250 graus) por 15 a 20 minutos. Quando começar a corar, estará pronto.

*Receitas fornecidas por Sibila de Aguiar e Fernanda Alves de Souza de Pitangui, para o Projeto Sabores de Minas

Riqueza de forno e fogão

Do Campo das Vertentes ao Centro-Oeste, com passagem por Oliveira, Carmo da Mata, Itapecerica e Divinópolis. Horas de viagem são coroadas pelo café quentinho e deliciosos biscoitos de Pitangui, a sétima vila do ouro de Minas, a 153 quilômetros de Belo Horizonte. Na Quitanda da Sibilia, na Avenida Getúlio Vargas, 186, atrás do fórum, os viajantes conhecem dois tipos de biscoito surpreendentes: um feito com queijo e outro à base de banha de porco.

Para aproveitar cada pedacinho, só mesmo conversando com a proprietária, Sibilia Aguiar, e sua funcionária, Fernanda Alves de Souza, mestras no ofício do forno e fogão. Assim como em outras cidades mineiras, as receitas atravessaram gerações sem perder a identidade. Estão presentes no jeito de sovar a massa, de modelar cada biscoito e de escolher o polvilho. “Na minha família, há um lado de quitandeiras e outro de boas cozinheiras”, revela Fernanda, de 30 anos, que considera o biscoito de queijo um dos símbolos da sua cidade.

Os viajantes, que já conheciam a fama das quitandas, aumentam os elogios, conferindo um grau especial ao biscoito de banha. Realmente, faz sucesso e derrete na boca. Na hora de preparar a massa, explica Sibilia, é preciso retirar as linhas características da banha, para que a massa fique lisa e homogênea. Depois dessa incursão gastronômica, novas descobertas estão no caminho da equipe.

Mapa dos Territórios Gastronômicos: O município de Pitangui está localizado no Território Cerrado/Centro Oeste

EA/TG – CERRADO/CENTRO OESTE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.