A massa recheada que conquistou Caxambu (MG)

O Cornicciolo foi inspirado no corniccione, uma comida de rua que faz sucesso em São Paulo e na Itália.

Por Marcos Loesch (Kiko)*

A gente nunca sabe que nossa vida está prestes a mudar. Tanta coisa pode acontecer em um dia que, ao olhar para trás, fica até difícil de acreditar.

Há exatamente um ano, eu estava desiludido da vida e, apesar de ser cozinheiro de formação, estava há algum tempo trabalhando como produtor de eventos e relativamente afastado das panelas.

Eu estava um pouco para baixo, pois o mercado de eventos na região estava enfrentando uma série de dificuldades e o dinheiro havia sumido.

Veja Também: Circuito Gastronômico da Pampulha

Pois bem, eu estava de bobeira quando abri o YouTube, e seu bendito algoritmo me recomendou um certo vídeo – “O carroceiro gourmet de São Paulo.” Sempre quis trabalhar com pizzas e aquele vídeo sobre um forno volante nas ruas da capital paulista me atingiu feito um raio.

Naquele mesmo momento, passei a mão no telefone e liguei para o tal carroceiro, explicando que trabalhava com eventos de rua em minha cidade e que precisava construir um forno a lenha igual ao dele. Ele foi muito educado, e me passou informações sobre o projeto. De momento, vi que não teria a grana pra construir um como o dele, então decidi fazer o meu com sucata e os restos de um antigo carrinho que eu usava no meu bloco de carnaval.

Pois bem, construí o forno com o intuito de estreá-lo no festival de inverno aqui de Caxambu, mas infelizmente ele só ficou pronto dois dias após o término do evento.

Quando o forno ficou pronto, eu precisava testá-lo. Levei ele para a roça e passei os dois meses seguintes testando todos os tipos de receita que acreditava ser possível preparar – empadas, empanadas, pães. Por fim optei pelo hoje famoso cornicciolo.

O cornicciolo veio do corniccione, que em São Paulo e na Itália tem alguma diferença em relação ao calzone. Optei por chamá-lo de cornicciolo por conta do seu tamanho menor. Trata-se de uma massa de pizza, feita com azeite, farinha especial, fermentação lenta e água mineral da fonte Dom Pedro do Parque das Águas de Caxambu. Ela é a melhor água do Parque e também cartão postal da cidade.


Foto: Acervo Pessoal

Recheios? Produtos da Mantiqueira mineira, como queijos caipiras feitos nas montanhas de Baependi, cogumelos frescos, linguiça artesanal, queijo de Alagoa, o premiado Queijo Azul de Minas de Cruzília, entre outros ingredientes.

Os cornicciolos são assados no Forno Foguete, que é um forno à lenha volante que fica pelas esquinas da cidade de Caxambu. Sai super quentinho, fumegante, com o queijo do recheio estralando na esteira. Uma pedida imperdível para quem visita a Hidrópole Real de Caxambu no Circuito das Águas da Mantiqueira de Minas Gerais.

Forno foguete a plenos vapores (Foto: Acervo Pessoal)

*Marcos Loesch (Kiko)
Cozinheiro e piloto de Foguete

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
31 3
Views:
510
Article Categories:
Coluna

All Comments