CAGAITA, UM DOCE E ESPECIAL SABOR DO CERRADO

Conheça mais sobre um dos mais saborosos frutos do nosso cerrado brasileiro.

Conheça mais sobre um dos mais saborosos frutos do nosso cerrado brasileiro.

Por Lucas Mourão*

Fruto amarelo, super aromático, de sabor doce ácido que lembra uma mistura de manga, pitanga e maracujá, só aparece pelo Mercado Central entre setembro a novembro de cada ano…estou falando da cagaita, esse fruto precioso do nosso Cerrado, símbolo da primavera mineira, junto de outros frutos do Cerrado também: mangaba, jatobá, murici…frutos cada vez mais raros de se ver nas grandes cidades do estado, e pouco conhecidos pelos jovens.

No caso da cagaita parte dessa dificuldade vem do fato de ser um fruto bem perecível, ou seja, sofre com o transporte (fruto muito delicado) e com a pouca durabilidade fora da geladeira. Geralmente são colhidas “de vez” para aguentar chegar nos mercados e também por um outro motivo bem curioso: os frutos bem amarelos, maduros, principalmente quando colhidos do chão, são extremamente laxantes, motivo pelo qual a fruta recebe esse nome popular hahah, e seu nome científico também dá um indício do seu poder sobre o intestino: Eugenia dysenterica. O mais curioso é que suas folhas e casca têm exatamente o efeito contrário dos frutos maduros: elas têm efeito contra diarréia e problemas intestinais.

Seus usos tradicionais são através de sucos, licores, sorvetes, picolés, doces e geleias, inclusive publiquei outro dia no perfil da Jaca Verde no Instagram sobre uma senhora da Serra do Cipó, Dona Geni, que ainda mantém a tradição de fazer geleia com frutos do Cerrado, dentre eles a cagaita e a mangaba. Mas podemos usar a cagaita de várias outras formas criativas, como por exemplo em caipirinhas e drinks alcoólicos, como recheio de doces e tortas, em chutneys e molhos agridoces, como picles, saborizando kombuchas, como vinagre, etc.

Além de produzir frutos incríveis e deliciosos a cagaiteira tem uma árvore belíssima que, na sua época de floração, cai todas as folhas e fica toda branca, parecida com o ipê branco. Suas flores também atraem muitas abelhas polinizadoras. Seria muito interessante usá-la mais no paisagismo urbano, principalmente em parques e praças, como forma inclusive de valorizar sua importância e necessidade de sua preservação, assim como a do Cerrado como um todo.

Veja Também: Uma viagem pelos sabores do norte de Minas

Lucas Mourão
Educador e paisagista. Formado em Relações Econômicas Internacionais, se encantou com a Agroecologia em 2015, e desde então trabalha com o tema através de cursos, oficinas e consultoria direcionadas ao conhecimento e uso das plantas alimentícias não convencionais (PANC) na alimentação e nos jardins. É diretor e idealizador da Jaca Verde Panc, por meio da qual trabalha a agroecologia e biodiversidade através da educação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
3 0
Views:
1489
Article Categories:
Ingredientes e Utensílios

All Comments