Doces da Dona Neuza de Ipatinga: quem conhece não esquece

Doce de Amendoim ou Pé de Moleque, não importa como são conhecidos esses deliciosos pedacinhos de rapadura com amendoim, marcas históricas das cozinhas e dos tachos de Minas Gerais e do Brasil. Aprenda a fazer e nunca mais vai conseguir ficar sem essa doçura com gosto de quero mais.

Doce de Amendoim ou Pé de Moleque, não importa como são conhecidos esses deliciosos pedacinhos de rapadura com amendoim, marcas históricas das cozinhas e dos tachos de Minas Gerais e do Brasil. Aprenda a fazer e nunca mais vai conseguir ficar sem essa doçura com gosto de quero mais.

Conheça outra doçura dos quintais de Minas – doce de limão rosa

Doce de amendoim triturado

Da Série: Doces dos Quintais de Minas Gerais*

Ingredientes:

– 5 kg de amendoim torrado, sem casca e moído

– 1 litro de leite

– 1 litro de água

– 4 kg de açúcar cristal

– 3 rapaduras picadas

Preparo:

Em uma panela, levar ao fogo a rapadura, o leite e a água.

Quando a rapadura derreter e a mistura começar a ferver, retirar do fogo e despejar o doce em uma superfície coberta com plástico, esperar esfriar um pouco e cortar em pedaços no tamanho e formato desejados.

Doce de amendoim triturado

*Receita fornecida por Neuza de Souza Novais, de Ipatinga para o Projeto Sabores de Minas

(foto: Marcos Michelin/EM)
(foto: Marcos Michelin/EM)

Sabor de sonho

Caminhando pelas ruas de Ipatinga, uma cena salta aos olhos dos viajantes. Com um grande cesto dependurado no braço, um senhor oferece generosos pedaços de pé-de-moleque a quem passa. Depois de assuntar um pouco, são descobertas as coordenadas para se chegar à fonte daquelas maravilhas. É a casa de Neuza de Souza Novais, uma doceira que acumula 24 anos de experiência nos tachos. Iniciada pelo marido, a produção caseira de doces é hoje uma das principais fontes de renda da casa, onde moram dois filhos, dois sobrinhos e três netos de dona Neuza.

“Todo mundo ajuda um pouco”, conta. E o pé-de-moleque não reina sozinho na produção. Há espaço também para cocadas variadas e doces de amendoim moído, que são vendidos na cidade por oito pessoas. “O pessoal ficou sabendo que eu fazia doce e começou a me procurar para vender. A maioria já está comigo há 15 anos”, conta. Enquanto alimenta o sonho de montar uma pequena fábrica, onde poderá explorar ainda mais seu talento, dona Neuza segue tranquila e satisfeita com o negócio.

“Pago tudo com os doces: aluguel, contas e um ajudante.” Determinação que dá o ponto final de cada iguaria.

Mapa dos Territórios Gastronômicos de Minas Gerais: o município de Ipatinga está localizado no Território dos Rios/Rio Doce

EA/TG – RIOS/RIO DOCE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.